Notícias | Dia a dia
Djoko destaca Thiem entre os novos rivais do Big 3
12/08/2019 às 12h19

Cincinnati (EUA) - O domínio do ‘Big 3’ nos últimos anos não se dá apenas em relação aos principais títulos do circuito, mas também aparece na liderança do ranking. Juntos, o suíço Roger Federer, o espanhol Rafael Nadal e o sérvio Novak Djokovic somam 770 semanas como número 1 do mundo, sendo o britânico Andy Murray o único em atividade a também alcançar a ponta da ATP.

Atual número 1 do mundo, Djokovic sabe que o domínio dos três chegará fatalmente ao fim no futuro. “Alguém tem de ser o líder do ranking. Sei que uma hora irão nos derrubar, mas espero que não seja tão logo. Ainda estamos jogando nosso melhor nos principais torneios e isso é a coisa mais importante”, analisou o sérvio.

Entre os nomes que podem destronar o Big 3, ele destacou o do austríaco Dominic Thiem. “Ele está por aí faz alguns anos e provavelmente é o mais maduro entre os demais concorrentes, com experiência em finais de Grand Slam. Definitivamente é alguém que pode alcançar a liderança”, observou Djokovic.

Ao analisar os novos nomes, o sérvio falou que uma característica comum é o bom desempenho nos serviços. “Muitos dos jogadores da nova geração têm grandes saques, o que é uma vantagem. Há o exemplo de Reilly Opelka...nunca imaginei que veria um cara mais alto que John Isner”, brincou o atual número 1 do mundo.

“Se você tem um grande saque e um jogo agressivo, já tem três quartos do necessário para vencer. Mesmo em superfícies mais lentas, um bom saque é difícil de devolver e coloca pressão no adversário”, complementou o sérvio, que tenta defender o título do Masters 1000 de Cincinnati nesta semana, estreando contra o vencedor do duelo entre o norte-americano Sam Querrey e o francês Pierre-Hugues Herbert.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis