Notícias | Dia a dia
Khachanov aproveita fúria de Kyrgios e vira o jogo
15/08/2019 às 01h01

Khachanov permaneceu focado apesar do descontrole do rival e conseguiu a vitória

Foto: Divulgação

Cincinnati (EUA) - No jogo que encerrou a programação desta quarta-feira pelo Masters 1000 de Cincinnati, Nick Kyrgios esteve muito perto de uma vitória em sets diretos sobre o número 9 do mundo Karen Khachanov. Por duas vezes, o australiano ficou a um game de fechar o jogo, mas uma ríspida discussão com o árbitro Fergus Murphy tirou totalmente seu foco nos momentos decisivos. Khachanov evitou as distrações e venceu o jogo por 6/7 (3-7), 7/6 (7-4) e 6/2 em 2h13 de partida. O australiano fez 21 a 13 em aces e 42 a 29 em winners, mas terminou o jogo com 48 erros contra 28 do rival.

Vindo de uma semifinal em Montréal na semana passada, Khachanov já tem um título de Masters 1000, conquistado no fim do ano passado em Paris. O russo de 23 anos agora enfrenta o francês Lucas Pouille, ex-top 10 e atual 31º do ranking, que marcou um duplo 6/4 contra o canadense Denis Shapovalov. Khachanov lidera o histórico contra Pouille.

Khachanov confirmou rapidamente seus três primeiros games de serviço, permitindo apenas um ponto ao adversário. Por outro lado, Kyrgios encontrou algumas dificuldades e acabou sofrendo uma quebra no sexto game da partida. O australiano dava sinais de dor no pé direito e pediu atendimento, sendo massageado também na panturrilha. O russo chegou a liderar por 5/2, mas foi quebrado com três erros e uma dupla-falta. Kyrgios ganhou confiança e venceu doze pontos em 14 possíveis para empatar o placar. Dois games mais tarde, o australiano salvou um set point com ace de segundo serviço para forçar o tiebreak. No game-desempate, Khachanov voltou a errar demais e colocou poucos primeiros serviços em quadra, o que facilitou a vida Kyrgios na reta final do set.

No breve intervalo antes do início da segunda parcial, Kyrgios recebeu mais um atendimento e tomou um remédio. Disposto a poucar o físico, o australiano buscou encurtar cada vez mais pontos no segundo set. Ele também conseguiu elevar seu índice de acerto de saque, de 62% para 80% e confirmou quatro games de serviço sem enfrentar break points. Com o placar empatado por 4/4, Kyrgios enfrentou um longo game com mais de nove minutos. O australiano arriscou de tudo, forçou o saque, usou drop shots e mexeu bastante o adversário para salvar três break points e confirmar o serviço.

Os problemas com o árbitro Fergus Murphy começaram quando Kyrgios ainda contestou o início da cronometragem do relógio de 25 segundos para o saque. Isso aconteceu justo quando o australiano estava a um game da vitória. Melhor para Khachanov, que confirmou o serviço sem maiores riscos. O russo se aproveitou da instabilidade do adversário para fechar a parcial no tiebreak.

Antes do início do terceiro set, Kyrgios foi advertido por ofender o árbitro ao dizer que ele era "o pior do mundo". Como já havia sido punido anteriormente, por abuso de bola, o australiano já começaria a parcial decisiva perdendo um ponto. Depois disso, quebrou duas raquetes sem ser advertido, mas foi chamada a atenção pela demora para receber o saque do adversário.

Apesar de todo o descontrole de Kyrgios, Khachanov se manteve focado apenas no que deveria fazer. Ele sequer questionou o árbitro sobre qualquer atitude do adversário. O russo até enfrentou dois break points no começo do terceiro set, mas evitou a quebra e passou a dominar a partida. Depois que Khachanov fez 4/2, Kyrgios passou a encurtar ainda mais os pontos e voltou a perder o saque com uma dupla-falta no match point. Até mesmo após a partida, Kyrgios protagonizou uma cena lamentável ao cuspir em direção ao árbitro.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis