Notícias | Dia a dia | US Open
Zverev acredita que não ser favorito pode ajudar
24/08/2019 às 12h26

Zverev chegou na terceira rodada do US Open no ano passado, sua melhor campanha em Nova York

Foto: Site oficial

Nova York (EUA) - Apesar de ser o sexto principal cabeça de chave do US Open, o próprio alemão Alexander Zverev não se coloca entre os favoritos para uma grande campanha em Flushing Meadows, mas isso pode ser um ponto positivo a seu favor.

"Esta é a primeira vez nos últimos anos em que não estou entre os favoritos para um Grand Slam e isso é bom porque tira a pressão de cima de mim", afirmou Sascha durante a entrevista oficial de apresentação do torneio. "Minha mentalidade está diferente, estou com muita vontade de ganhar".

Com apenas um título, obtido em Genebra, e uma boa campanha nos Slam com as quartas em Roland Garros, Zverev precisa correr atrás de pontos para tentar se manter no top 10 e se classificar para o Finals de Londres, onde é o atual campeão.

Ele reconhece o momento instável que atravessa, que culminou com a demissão do técnico Ivan Lendl, em julho. "Não tenho jogado meu melhor tênis e não vivo um grande ano, mas estou tentando recuperar a confiança, encarando partida por partida, buscando o melhor que posso". Ele lembra que ainda tem 22 anos: "Tudo aconteceu muito rápido para mim e de certa forma gerou uma pressão. Ainda estou aprendendo a lidar com isso, alguns superam melhor do que outros".

Zverev acha que a nova geração pode se sair bem neste US Open, embora coloque o favoritismo sobre Novak Djokovic. "Vários tenistas jovens, como Dominic Thiem e Daniil Medvedev, têm chances de ir longe. Acho que há opções além do Big 3", aposta.

Comentários