Notícias | Dia a dia
ATP demite juiz de cadeira da final de Wimbledon
27/08/2019 às 08h51

Nova York (EUA) - Responsável por comandar a última final de Wimbledon, que terminou com o título do sérvio Novak Djokovic após salvar match-points diante do suíço Roger Federer, o argentino Damián Steiner foi demitido pela ATP. De acordo com o jornalista Christopher Clarey, do New York Times, a entidade que comanda o circuito desaprovou as entrevistas dadas pelo árbitro após a decisão.

Diretor do departamento argentino de arbitragem, Steiner havia revelado em uma entrevista à ESPN argentina a felicidade por ter participado de um jogo tão importante. “Realmente foi algo histórico, vivi uma partida incrível. Era uma oportunidade que vinha esperando. Esses tipos de partidas são únicos, daquelas que você não quer que acabe para continuar vivendo a experiência de estar nela”, disse o juiz.

O desligamento do argentino, que é um árbitro do mais alto nível possível na escala, aconteceu pouco antes dele chegar em Flushing Meadows para trabalhar no US Open. A principal razão pela qual a ATP tomou essa atitude foi o número de entrevistas que Steiner concedeu, chegando até a sugerir algumas mudanças nas regras.

A notícia já repercutiu no circuito com o norte-americano John Isner saindo em defesa do juiz argentino. “Ainda não conheço toda a história, mas isso me parece absurdo. Steiner é um fantástico árbitro e uma pessoa querida por todos os jogadores”, escreveu o atual número 14 do ranking, que estreia no US Open nesta terça-feira contra o espanhol Guillermo Garcia-Lopez.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis