Notícias | Dia a dia | US Open
Nadal diz que quedas dos top 10 são parte do jogo
28/08/2019 às 10h41

Nova York (EUA) - A terça-feira no US Open ficou marcada principalmente pela eliminação de quatro top 10 na parte de baixo da chave masculina, o que acabou abrindo o caminho para o espanhol Rafael Nadal, que agora não poderá mais ter pela frente rivais do calibre do austríaco Dominic Thiem, do grego Stefanos Tsitsipas, do russo Karen Khachanov e do compatriota Roberto Bautista.

Para o canhoto de Mallorca, essas derrotas prematuras fazem parte do jogo. “Assim é o tênis, tudo pode acontecer. Você tem que respeitar seus oponentes desde a primeira rodada e ir para quadra sabendo que pode perder se jogar mal. Tsitsipas tinha um duro rival pela frente, mas a queda de Khachanov foi uma surpresa”, comentou o número 2 do mundo.

Thiem parece que estava doente e lamento por ele, assim como também por Roberto”, complementou Nadal, que terá pela frente o australiano Thanasi Kokkinakis. “É jovem, tem uma direita muito potente e um grande saque. Será um oponente perigoso e se eu não jogar bem será uma partida muito difícil”, observou o espanhol.

Questionado sobre aparentar estar mais fino para a disputa do US Open, o espanhol rebateu garantindo que não houve mudança alguma. “Tenho o mesmo corpo de sempre, até gostaria de ter um corpo novo, mas no momento isso não é possível. Quem sabe daqui a uns 100 anos isso possa acontecer, mas agora ainda não”, brincou Nadal.

“Não tenho um estilo de jogo diferente, continua sendo o mesmo, apenas está melhor em certos momentos e pior em outros. Quando tenho mais confiança consigo ser mais agressivo, mas o estilo é o mesmo”, acrescentou o segundo mais bem cotado ao título em Flushing Meadows.

Ao ser lembrado que já 10 anos atrás ele, o sérvio Novak Djokovic e o suíço Roger Federer eram os três principais favoritos ao título do US Open, Nadal foi sucinto. “É algo muito difícil de se fazer, mas também é uma grande notícia para nós três”, declarou o espanhol, que também falou o que espera do Big 3 daqui 10 anos. “Com certeza não estaremos mais aqui, mas não sei onde estaremos. Espero que aproveitando a vida conforme cada um escolheu”, finalizou.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series