Notícias | Dia a dia | US Open
Monfils diz que terá prejuízo se não for às oitavas
29/08/2019 às 12h53

Nova York (EUA) - O francês Gael Monfils disse para a RMC Sport que se ele não chegar até as oitavas de final no US Open estará levando prejuízo, uma vez que terá gasto mais para estar no torneio, somando passagens de avião, hospedagem para ele e sua equipe e porcentagem de vencimentos para seu técnico e seu agente, do que conseguirá faturar com a premiação.

Cabeça de chave número 13, o francês superou sua estreia em Flushing Meadows batendo o espanhol Albert Ramos em sets diretos e nesta quinta-feira medirá forças com o romeno Marius Copil. Para chegar até as oitavas ele precisará vencer mais dois jogos, cruzando com quem passar do duelo entre o suíço Henri Laaksonen e o canadense Denis Shapovalov em eventual terceira rodada.

Monfils foi um dos beneficiados com a queda de quatro top 10 na parte de baixo da chave e só cruzará com outro cabeça de chave se chegar nas quartas de final, quando terá a chance de medir forças com o italiano Matteo Berrettini ou o australiano Nick Kyrgios, respectivamente 24º e 28º pré-classificados.

“Isso me coloca muita pressão”, declarou o francês, que só enfrentará um adversário com ranking melhor que o seu nas semifinais, quando poderá cruzar com o espanhol Rafael Nadal ou com o alemão Alexander Zverev.

Com sua vitória solitária até então no US Open, Monfils vai faturando um cheque de US$ 100 mil; um novo triunfo o fará ganhar US$ 63 mil a mais. Para conseguir equilibrar as contas, segundo ele próprio, o valor que precisa faturar é de US$ 280 mil, premiação dada àqueles que alcançarem as oitavas de final em Flushing Meadows.

Comentários