Notícias | Dia a dia
Ferrer e Toni Nadal defendem juiz demitido pela ATP
30/08/2019 às 09h40

Madri (Espanha) - A polêmica demissão do juiz argentino Damián Steiner por ter concedido entrevistas em seu país em autorização prévia e por violar o protocolo da ATP ao comentar algumas mudanças que gostaria de ver no circuito como terminar com o 'let' e permitir a comunicação com o técnico, desagradou muita gente ligada ao circuito.

Além de alguns tenistas argentinos e do norte-americano John Isner, um dos primeiros a se pronunciar sobre o assunto, também saíram em defesa do árbitro dois nomes pesados do tênis espanhol: o treinador Toni Nadal e o recém-aposentado David Ferrer.

“Sempre desconfiei da inflexibilidade das pessoas e dos organismos que precisam tomar decisões drásticas para demonstrar sua idoneidade. Surpreende uma censura dessa magnitude em pleno século XXI”, declarou o tio e ex-treinador do espanhol Rafael Nadal em entrevista ao El País.

O técnico espanhol ainda aproveitou para cutucar a ATP e o australiano Nick Kyrgios, vendo dois pesos e duas medidas bem diferentes tomadas pela entidade que comanda o circuito masculino. “Fico ainda mais surpreso dessa decisão vir de uma entidade que não recrimina declarações grosseiras de um tenista e o encoraja a nunca mudar”, disparou Toni.

Pelas redes sociais, Ferrer foi mais um a se pronunciar contra a demissão do argentino. “Li as notícias da expulsão do árbitro Damián Steiner por dar entrevistas depois de arbitrar a final de Wimbledon e por violação das regras da ATP. Acho incrível. Ele é um árbitro que tem sido um modelo e com uma qualidade profissional impecável. Na vida, todos cometemos erros e há decisões drásticas demais que não beneficiam ninguém, como neste caso. Parece injusto”.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis