Notícias | Dia a dia | US Open
Federer explica jogo rápido: 'Tive ótimo dia, ele não'
01/09/2019 às 18h40

Federer cedeu apenas quatro games e definiu o jogo contra Goffin em 1h19

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Depois de vencer com tranquilidade seu jogo pelas oitavas de final do US Open, Roger Federer comentou sobre os fatores que fizeram a partida contra David Goffin ser tão rápida neste domingo. O número 3 do mundo e pentacampeão do torneio cedeu apenas quatro games e definiu o jogo em 1h19 contra o 15º do ranking e finalista do Masters 1000 de Cincinnati.

"Às vezes esses placares simplesmente acontecem. Você tem um bom dia, o adversário não, e aí tudo acontece muito rápido. Talvez ele tenha sofrido um pouco no início", disse Federer após a vitória por 6/2, 6/2 e 6/0 "Eu encontrei meu ritmo depois de um tempo e fui capaz de dominar a partida e não olhar para trás"

"David não foi tão bem quanto eu esperava que ele fosse. Ele teve algumas dificuldades hoje e consegui tirar proveito disso. Acho que é a chave para o resultado", avaliou o suíço. "Em uma partida de oitavas de final como hoje, se você tiver a oportunidade de simplificar as coisas, precisa aproveitar. Estou muito feliz com isso".

A chegada às quartas de final do US Open faz Federer igualar uma marca de Andre Agassi. Ambos alcançaram essa rodada em 13 ocasiões. O veterano de 38 anos ainda precisaria chegar às quartas em Nova York mais quatro vezes para igualar o recorde Jimmy Connors. Federer falou sobre a busca por recordes na carreira.

"Às vezes os recordes me motivaram. Em outras ocasiões, criaram tanta pressão que deixaram de ser divertidos. Claro que é muito especial jogar para quebrar esses recordes. Estar no meu 56º Grand Slam nas quartas de final é uma ótima sensação", comenta o suíço, que enfrentará o búlgaro Grigor Dimitrov na próxima rodada.

Federer também falou sobre a partida entre Naomi Osaka e Coco Gauff, quando a número 1 do mundo consolou a jovem rival depois de ter vencido a promissora norte-americana de 15 anos. "Foi um momento muito bonito. As duas mostram muita personalidade. De certa forma, quem ganha é o tênis, não apenas Osaka, Coco, como ela se comportou quando tinha apenas 15 anos, é incrível. Eu não acho que me comportei assim quando eu tinha essa idade".

Goffin tem apenas uma vitória em dez jogos contra Federer. Mas mesmo com o retrospecto amplamente negativo, o belga já fez jogos muito mais equilibrados contra o suíço. Até por isso, o jogador de 28 anos acredita que nunca havia jogado tão mal contra o rival. "É duro dizer isso, mas eu entreguei o jogo inteiro. Deixei o jogo nas mãos dele. Provavelmente foi a pior partida que eu já fiz contra Roger".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series