Notícias | Dia a dia | US Open
Mesmo com dor, Osaka evita desculpas para derrota
02/09/2019 às 20h29

Com a derrota, Osaka perderá a liderança do ranking mundial

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Eliminada nas oitavas de final do US Open, Naomi Osaka não dá desculpas para a derrota desta segunda-feira para Belinda Bencic. A japonesa sentiu uma lesão no joelho esquerdo há pouco mais de duas semanas, em Cincinnati, mas lembra que as dores não a impediram de disputar o Grand Slam norte-americano e fez questão de valorizar a grande atuação de sua adversária.

"Eu machuquei meu joelho em Cincinnati, mas estou melhorando a cada dia. Não quero dizer que foi por isso que perdi, porque eu também estava com dor quando consegui vencer três jogos durante a semana. Não preciso de cirurgia ou algo assim, estou apenas me tratando com analgésicos", disse Osaka após a derrota por 7/5 e 6/4 para Bencic.

"Hoje eu não me senti confortável na quadra, pois não conseguia me mover normalmente. Mas acho que eu deveria ser mais agressiva. Como a Bencic é muito agressiva, tive problemas para me defender do fundo de quadra. Tenho que parabenizá-la pelo excelente tênis que ela jogou hoje e durante todo o torneio", acrescenta a japonesa de 21 anos e que foi campeã do torneio no ano passado.

Com a derrota, Osaka também perderá a liderança do ranking mundial para Ashleigh Barty. A japonesa agora já pensa na reta final da temporada, com a série de torneios na Ásia até o WTA Finals em Shenzhen. "Neste momento, estou triste, mas também sinto que aprendi muito nesse torneio. É claro que queria defender o título, mas a Belinda fez uma partida excelente e executou perfeitamente seu plano de jogo. Não quero pensar sobre o que eu errei, mas sim em coisas positivas. Agora é hora de descansar e começar a me preparar para a reta final da temporada".

Algoz de Osaka, Bencic superou a japonesa pela terceira vez na temporada. A suíça de 22 anos e número 12 do mundo já havia derrotado a rival em Indian Wells e em Madri. "Obviamente, sempre me adapto às minhas adversárias. É assim que eu jogo. Não tenho os golpes mais potentes e também não sou quem mais faz aces ou mais winners, mas acho que consigo ler bem o jogo das minhas oponentes. Sempre tento fazer isso, e não apenas contra ela. Acho também que meu jogo provavelmente casa bem com o dela".

Ex-número 7 do mundo, Bencic volta às quartas de final de um Grand Slam depois de cinco anos. A jovem suíça já havia conseguido essa campanha no US Open de 2014, quando tinha apenas 17 anos. Por conta de lesões nas costas e de uma cirurgia no punho esquerdo, ela chegou a sair do top 300 em 2017 e precisou voltar a jogar torneios menores para voltar ao top 100. Adversária da croata Donna Vekic nas quartas, Bencic faz uma temporada muito consistente. Depois de começar o ano fora do top 50, a suíça foi campeã em Dubai, vice em Mallorca e semifinalista em Madri e Indian Wells. Dessa forma, está cada vez mais perto de voltar ao grupo das dez melhores do mundo.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series