Notícias | Dia a dia | US Open
Segundo Grand Slam de Laver completa 50 anos
07/09/2019 às 08h00
Felipe Priante

Um dos maiores feitos do tênis mundial, a segunda conquista do Grand Slam de temporada realizada pelo lendário Rod Laver em 1969 completa seu 50ª aniversário neste sábado. O australiano se tornou o primeiro e único até então a vencer em duas oportunidades distintas os quatro principais torneios do circuito em um mesmo ano e poderia ter repetido a façanha mais vezes se não tivesse sido impedido de competir nesses eventos entre 1963 e 1967 por ter se tornado profissional.

Disputada ainda na grama do West Side Tennis Club, a final daquele ano aconteceu apenas na terça-feira por causa do Furacão Gerda, que atingira a Flórida dias antes e levou intensa chuva para Nova York. Um helicóptero foi chamado para pairar sobre a quadra e secar a grama após um atraso de 90 minutos. As condições escorregadias levaram Laver, que não havia perdido uma partida desde Wimbledon, a mais um título de Grand Slam, o último de sua coleção.

A conquista do US Open de 1969 foi a segunda de Laver na competição, onde havia triunfado também em 1962, ano em que o australiano fechou o Grand Slam pela primeira vez. Seu 11º título deste porte veio de virada e em uma partida de quatro sets contra o compatriota Tony Roche, triunfando com o placar final de 7/9, 6/1, 6/2 e 6/2.

Em sua campanha para o título em Nova York, o australiano cruzou as três primeiras rodadas sem perder sets, mas foi forçado a encarar dura partida de cinco sets contra o norte-americano Dennis Ralston nas oitavas de final, vencendo com 6/4, 4/6, 4/6, 6/2 e 6/3. Laver bateu o compatriota Roy Emerson nas quartas de final, com 4/6, 8/6, 13/11 e 6/4, e nas semifinais superou o defensor do título, o ídolo local Arthur Ashe, marcando 8/6, 6/3 e 14/12 sobre aquele que décadas mais tarde batizaria o maior estádio de tênis do mundo.

Apelidado de ‘Rocket’, o canhoto australiano de pouco mais de 1,72m era forte e excepcionalmente atlético, mesmo entre seus colegas profissionais. Importante lembrar que esse segundo Grand Slam de Laver foi totalmente obtido já na Era Profissional, iniciada em maio de 1968. Além dele, o único a vencer os quatro Slam em uma mesma temporada foi o norte-americano Don Budge, em 1938.

Os passos de Laver foram seguidos por sua compatriota Margaret Court, que no ano seguinte também conseguiu a grande façanha. A alemã Steffi Graf repetiu a dose em 1988 e ainda incluiu a medalha de ouro olímpica. A primeira mulher a ter fechado o Slam foi a norte-americana Maureen Connolly, em 1953.

Longa carreira de sucesso

Nascido a 9 de agosto de 1938 em Rockhampton, Rodney George Laver inicou a carreira logo depois de ser campeão juveniil da Austrália e dos EUA. Dois anos depois, atraiu as atenções ao chegar nas três finais de Wimbledon, faturando as mistas.

O primeiro Slam chegaria em casa, em 1960, numa final em que saiu dois sets atrás e salvou match-point contra Neale Fraser. No ano seguinte, faturou Wiimbledon.

Ao dominar totalmente os Slam em 1962 e ainda conquistar a Copa Davis, recebeu convite para disputar eventos com recompensa financeira. Entre 1963 e 1968, foi o grande destaque no circuito profissional mas ficou excluído do calendário tradicional e dos Slam.

Com o fim da proibição, em 1968 ele voltou a jogar os Slam e chegou ao tri em Wimbledon para depois dominar novamente o calendário em 1969. No entanto, os circuitos norte-americanos TCC e WCT pagavam muito melhor e ele continuou dando prioridade a esses eventos nas temporadas seguintes. A partir de 1970, jogou apenas mais oito Slam sem grande sucesso, o último deles em Wimbledon de 1977.

Em sua carreira, Laver foi apontado como número 1 da fase amadora, em 1961 e 1962, e também como o melhor do circuito profissional, entre 64 e 67. Quando a ATP surgiu, em 1974, apareceu no quarto lugar.

Caminhada de Laver nos outros três Slam de 1969

A façanha de 1969 começou com a conquista de Laver dentro de casa, vencendo o Australian Open pela terceira vez. A semifinal do primeiro Slam do ano foi talvez a mais dura partida que encarou na temporada, vencendo o compatriota Tony Roche sob um calor de 40ºC e encarando 42 games no segundo set e mais 20 no terceiro, fechando com placar final de 7/5, 22/20, 9/11, 1/6 e 6/3. A final contra o espanhol Andrés Gimeno foi menos sofrida e finalizada em sets diretos, com 6/3, 6/4 e 7/5.

Em Roland Garros, mas uma vez Roche foi seu adversário na semi, mas desta vez Laver triunfou por 3 a 0, mesmo resultado da final contra o também australiano Ken Rosewall, marcando 6/4, 6/3 e 6/4 para vencer em Paris pela segunda vez. "Ele havia me superado lá no ano anterior, então eu estava muito preparado para uma partida difícil. Joguei meu melhor tênis, sem cometer erros, mas vencer em sets seguidos foi uma surpresa."

O penúltimo passo antes da coroação no US Open foi em Wimbledon, superando o compatriota John Newcombe com parciais de 6/4, 5/7, 6/4 e 6/4. "Felizmente mantive minha calma e minhas porcentagens. Ele tentou variar o jogo do começo ao fim para me vencer. Foi um dos melhores momentos meus no All Engalnd Club”, comemorou o campeão pela quarta vez na grama sagrada.

Comentários