Notícias | Dia a dia | US Open
Wang se emociona ao lembrar morte do treinador
04/09/2019 às 16h42

A chinesa de 27 anos sofreu com a perda do treinador em julho, mas fez sua melhor campanha em Slam

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Superada por Serena Williams em uma dura derrota por 6/1 e 6/0 nas quartas de final do US Open, Qiang Wang encerrou na última terça-feira sua melhor campanha em um Grand Slam, depois de ter vencido quatro jogos em Nova York. Vivendo um bom momento no circuito, a chinesa de 27 anos e número 18 do mundo se emocionou ao lembrar de seu antigo treinador, o australiano Peter McNamara, que faleceu em julho, em decorrência de um câncer de próstata.

Em entrevista ao jornalista Tom Rinaldi, da ESPN norte-americana, Wang falou sobre sua relação com McNamara. "Ele me ensinou a ser uma jogadora profissional e acreditava que eu poderia ser uma boa jogadora", disse Wang, que já acumula seis vitórias contra top 10 na carreira e chegou a derrotar a número 2 do mundo Ashleigh Barty neste US Open.

"Ele era um bom homem e fizemos um grande trabalho juntos. E quando eu soube que havia falecido fiquei muito triste. Sinto muito a falta dele.  Era como um pai para mim. Mas sinto que ele sempre está comigo na quadra", acrescentou a chinesa. Perguntada sobre o que gostaria de dizer a McNamara se pudesse encontrá-lo novamente, Wang não teve dúvidas quanto à escolha das palavras e disse: "Eu te amo".

Atualmente treinando com o monegasco Thomas Drouet, Wang comentou sobre o quanto foi difícil enfrentar Serena, em dia que a ex-número 1 jogou muitíssimo bem e definiu a disputa em 44 minutos. "Serena colocou muita pressão sobre mim e não é fácil jogar contra ela. Ela é uma grande jogadora. Ela é apenas excelente, eu não sei o que dizer". Perguntada sobre a maior dificuldade no jogo, ela respondeu: "O poder [do saque e dos golpes]. Eu não consegui lidar com isso. Foi demais para mim".

Wang terá muitos pontos a defender nos torneios asiáticos no fim do ano. Em 2018, ela foi semifinalista em Hiroshima (110), campeã em Guangzhou (280), semifinalista nos torneios Premier de Wuhan (350) e Pequim (390) e vice em Hong Kong (180) e Zhuhai (360). São 1.670 pontos dos atuais 2.646 que ela tem no ranking. A campanha no US Open rendeu 430 pontos e ela espera seguir evoluindo nos próximos torneios. "Acho que fiz um bom trabalho nessas duas semanas. Apesar desse último jogo, posso tirar coisas positivas. Já falei com meu técnico e vamos e estamos muito confiantes para o futuro".

Comentários
Faberg
Roland Garros Series