Notícias | Dia a dia | US Open
Nadal supera valente Schwartzman e faz sua 33ª semi
05/09/2019 às 01h39

Tricampeão em Nova York, o espanhol tenta alcançar sua 27ª final de Grand Slam na carreira

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Após as eliminações de seus dois principais rivais neste US Open, Rafael Nadal espantou a zebra e garantiu seu lugar na semifinal do Grand Slam nova-iorquino. Embora não tenha perdido set, o tricampeão do torneio e número 2 do mundo encarou um bom teste contra o valente argentino Diego Schwartzman, mas venceu por 6/4, 7/5 e 6/2 em 2h46 de partida. Com o resultado, Nadal mantém seu perfeito retrospecto contra o rival, com oito vitórias e nenhuma derrota.

Dono de 18 títulos de Grand Slam, Nadal disputará sua 33ª semifinal e busca a 27ª decisão. O canhoto de 33 anos tenta se aproximar do recorde de 20 conquistas que pertence a Roger Federer. De quebra, poderá aumentar a distância para Novak Djokovic, que já venceu 16 torneios deste porte. Federer e Djokovic já foram eliminados neste US Open.

Nadal é o único campeão de Grand Slam entre os quatro semifinalistas. Durante a temporada de 2019, o espanhol chegou pelo menos à semifinal em todos os Grand Slam, com destaque para o título de Roland Garros. Ele enfrenta na próxima sexta-feira o surpreendente italiano Matteo Berrettini, 25º do ranking, em confronto inédito no circuito. A outra semifinal terá o russo Daniil Medvedev, número 5 do mundo, e o búlgaro Grigor Dimitrov, ex-top 3 e atual 78º colocado.

Embora não tenha chances de recuperar a liderança do ranking logo após o US Open, Nadal é o jogador que mais pontuou na temporada e tem chance de abrir boa vantagem para o sérvio na disputa para saber quem termina o ano como número 1 do mundo. Em 2019, o espanhol acumula 7.225 pontos contra 7.085 de Djokovic. O título no US Open vale 2 mil pontos e a campanha do sérvio até as oitavas rendeu só 180.

Superado por Nadal nesta quarta-feira, Schwartzman está com 27 anos e ocupa o 21º lugar no ranking mundial. O argentino chegou pela segunda vez às quartas de final do US Open e pela terceira vez em um Grand Slam. Durante sua ótima campanha em Nova York, destaque para uma expressiva vitória contra o número 6 do mundo Alexander Zverev nas oitavas. Aquele foi seu sexto triunfo contra top 10 na carreira.

Além dos sete embates anteriores, Nadal e Schwartzman também são velhos conhecidos das quadras de treino. O espanhol dominou os primeiros games da partida e abriu 4/0 no placar, aproveitando-se de alguns golpes pouco profundos do argentino para mandar nos pontos sempre que era possível. Mas bastou um game ruim do tricampeão para que o roteiro do primeiro set tomasse outro rumo. Schwartzman devolveu uma das quebras e ganhou confiança.

O argentino passou a usar bem melhor os ângulos no forehand do espanhol e passou a ter mais chance de definir os pontos. Além de buscar o empate, o jogador de 27 anos ainda teve dois break points que poderiam colocá-lo à frente no placar. Mesmo com tanto empenho, o argentino esbarrava na falta de repertório e isso custou caro no último game da parcial, quando Nadal conseguiu sua terceira quebra.

Nadal continuou muito intenso no início do segundo set. Mesmo devolvendo os saques do argentino bem longe da linha de base, ele comandava os pontos de fundo de quadra. Apesar da resistência do argentino, a precisão do espanhol nas trocas de bola foi fundamental para ele conseguir duas quebras e uma confortável liderança por 5/1. Mas de novo Schwartzman lutou muito e conseguiu buscar o empate com lances incríveis do fundo de quadra e que levantaram a torcida. Já na reta final do set, Nadal se aproveitou de uma dupla-falta e de duas bolas sem peso do argentino para voltar a quebrar o serviço e ampliar a vantagem no placar do jogo.

As maiores preocupações para Nadal no terceiro set foram as dores. O espanhol recebeu atendimento do fisioterapeuta para tratar do antebraço esquerdo em uma das viradas de lado. Dois games mais tarde tomou um medicamento e também teve o braço direito examinado. Sem enfrentar break points durante a parcial, o número 2 do mundo cedeu apenas cinco pontos em seus games de saque. Mesmo com alguns erros não-forçados do fundo de quadra, ele conseguiu a quebra de serviço no sexto game e rumou para uma difícil vitória, apesar dos 3 sets a 0.

Comentários