Notícias | Dia a dia | US Open
Nadal luta por cinco sets e conquista o 19º Slam
08/09/2019 às 22h08

Aos 33 anos, o espanhol conquistou seu quarto título no US Open e está perto de igualar recorde

Foto: Arquivo

Nova York (EUA) - A vitoriosa carreira de Rafael Nadal ganhou mais um capítulo neste domingo. Aos 33 anos, o espanhol conquistou seu quarto título no US Open e o 19º Grand Slam. Apesar de um início muito tranquilo e que sugeria uma vitória em sets diretos, Nadal precisou lutar por cinco sets e ficou em quadra por 4h50 para vencer o duelo contra o russo Daniil Medvedev, dez anos mais jovem e número 5 do mundo, por 7/5, 6/3, 5/7, 4/6 e 6/4.

Com 19 títulos de Grand Slam, Nadal fica a apenas uma conquista de igualar o recorde de Roger Federer. O suíço de 38 anos já venceu 20 competições deste porte. De quebra, o canhoto espanhol aumenta a distância para Novak Djokovic, sérvio de 32 anos e dono de 16 troféus de Grand Slam na carreira. Neste US Open, Djokovic foi eliminado nas oitavas, enquanto Federer caiu nas quartas.

Também campeão do US Open nos anos de 2010, 2013 e 2017, Nadal se iguala a John McEnroe em número de conquistas no Grand Slam norte-americano. Ele deixa para trás os tricampeões Ivan Lendl e Novak Djokovic. Os recordistas são Jimmy Connors, Roger Federer e Pete Sampras, todos pentacampeões.

Nadal também se torna o primeiro jogador a ganhar cinco títulos de Grand Slam depois dos 30 anos. São três títulos seguidos de Roland Garros nas últimas temporadas, além de duas conquistas em Nova York, em 2017 e agora em 2019. Roger Federer, Novak Djokovic, Rod Laver e Ken Rosewall conquistaram quatro troféus de Slam após três décadas de vida.

Embora não consiga recuperar a liderança do ranking logo após o US Open, Nadal vai reduzir bastante a diferença na pontuação para Novak Djokovic. O sérvio tinha 11.685 pontos, mas só defendeu 180 dos 2 mil que terá descontados na segunda-feira. Assim, ficará com 9.865. Já Nadal começou o torneio com 7.945 e defendia 720 de semi do ano passado. Ele irá a 9.225 pontos. Além disso, Nadal é o jogador que mais pontuou no circuito na temporada de 2019 e não defende mais nada até o fim do ano. Já Djokovic fez 7.265 pontos este ano e tem 2.600 a defender nos próximos meses.

Já Medvedev chegou ao US Open cercado de expectativa depois de ter feito um excelente mês de preparação. O jovem jogador de 23 anos chegou às finais em todos os quatro torneios que disputou no verão americano. Depois de ficar com o vice no ATP 500 de Washington e no Masters 1000 de Montréal, onde perdeu a final para o próprio Nadal, o russo engatou uma sequência de doze vitórias seguidas com o maior título da carreira no Masters 1000 de Cincinnati e a campanha até a final do US Open. 

Já classificado para o ATP Finals, torneio que reúne os oito melhores jogadores da temporada, Medvedev termina o torneio como número 4 do mundo e é o jogador que mais venceu partidas neste ano. Ele já acumula 50 vitórias só em 2019 e venceu 20 dos últimos 23 jogos que disputou. Duas dessas raras derrotas foram para Nadal. O russo tentava se tornar o terceiro atleta de seu país a vencer um Grand Slam e poderia ser o primeiro jogador nascido nos anos 1990 a ganhar um torneio deste tamanho.

A premiação para o campeão do US Open é de US$ 3,85 milhões, enquanto o vice receberá US$ 1,95 milhão. Nadal é um dos jogadores com maior premiação acumulada na carreira. Ele já ganhou mais de US$ 111 milhões em sua trajetória com 83 títulos na elite do circuito. Já o jovem Medvedev tem pouco mais US$ 6 milhões em prêmios na carreira, sendo US$ 3,3 milhões obtidos apenas neste ano.

Apesar do favoritismo para a partida deste domingo, intensificado pela tranquila vitória no Masters de Montréal há um mês, Nadal havia corrido riscos em seus três últimos jogos em Nova York. Ele perdeu set para Marin Cilic, permitiu duas corajosas reações de Diego Schwartzman e, por muito pouco, não perdeu o set inicial para Matteo Berrettini. Até por isso, o espanhol não poderia dar brechas a um rival tão confiante.

Os dois jogadores começaram a partida sem querer forçar ou ousar demais. Mesmo assim, Nadal já teve de encarar break-point e uma advertência por estourar os 25 segundos permitidos para o saque. Também no primeiro game da partida, o espanhol fez um lindo ponto atacando por fora da rede. Assim, foi Medvedev quem conquistou a primeira quebra de serviço, aproveitando-se de algumas bolas curtas do rival, mas Nadal conseguiu o empate de imediato, apostando em bolas altas e cheias de spin.

Em um jogo ainda com muitos erros, os dois tenistas passaram a ir mais à rede e Nadal teve mais sucesso. O espanhol também passou a confirmar o serviço com maior tranquilidade. Foram três games seguidos de zero e apenas dois pontos cedidos no importante momento de empate por 5/5. Já Medvedev era constantemente pressionado, escapou de três break points no oitavo game, mas não evitou a quebra já na reta final do set, em um game impecável do espanhol.

Nadal deu pequena vacilada no começo de segundo set e permitiu um break point, mas aí voltou a sacar bem e mirou mais no corpo do russo. Já Medvedev escapou de quatro oportunidades de quebra em um game com uma coleção de erros, mas conseguiu o empate por 2/2. Dois games mais tarde, Nadal conseguiu quebrar o serviço do adversário usando variação e maior profundidade, principalmente com o forehand, para ter sucesso na construção dos pontos. Sem ter o serviço ameaçado até o fim do set, o número 2 do mundo também se destacou pelo desempenho nas devoluções e retornou 85% dos saques do russo.

No começo do terceiro set, Medvedev arriscou algumas mudanças táticas. Ele tentou curtas, deu slices e foi à rede, mas tudo de forma esporádica. Com excepcional trabalho de pernas, elemento essencial na sua capacidade defensiva, Nadal conseguiu uma quebra de serviço abriu 3/2. No entanto, o russo conseguiu buscar o empate logo no game seguinte, depois de um voleio errado do espanhol. Medvedev ainda escapou de dois break points quando o placar estava empatado por 4/4 e levantou a torcida.

Ainda que Nadal tenha perdido chances de definir a disputa, o jogo parecia sob controle, mas Medvedev foi agressivo no último game do set e tomou a iniciativa para definir os pontos, conquistando bolas incríveis para quebrar o serviço do espanhol e vencer o terceiro set. Muito mais confiante, o russo começou bem o quarto set e até teve um break point, mas Nadal evitou uma quebra que poderia ser desastrosa. Já com o placar empatado por 2/2, o jovem de 23 anos sobreviveu a um game longo, escapando de duas chances de quebra. Depois disso, Medvedev não enfrentaria mais break points até o fim do set e passou a pressão para o outro lado. Vencendo por 5/4, aplicou incríveis passadas em Nadal e fechou o set com um winner de devolução.

A situação de Nadal ficou ainda mais perigosa no começo do quinto set. O espanhol escapou de dois break points e ainda levou sua segunda advertência por estouro de tempo para sacar. Com isso, foi obrigado a disputar um ponto com o segundo saque. Mesmo com as oportunidades perdidas, Medvedev continuou muito firme na partida e confirmou o saque na sequência. O russo ainda precisou de tratamento para a perna esquerda. 

Depois de ter sido muito passivo nos break points que vinha enfrentando desde o terceiro set, Nadal enfim partiu para uma estratégia mais agressiva e conseguiu uma importante quebra de serviço no quinto game para fazer 3/2. Logo na sequência, fez um game de saque impecável para pressionar ainda mais o adversário. Medvedev baixou a intensidade e sofreu mais uma quebra, deixando o espanhol muito perto da vitória e em condições de definir o duelo no saque.

Não faltou luta ao jovem russo, que suportou alguns ralis longos e até teve um break point. Então, Nadal foi punido pela terceira vez por estourar o tempo para sacar e cometeu uma dupla-falta que possibilitou a quebra. Experiente, o espanhol evitou maiores discussões e permaneceu focado. Assim, continuou pressionando o adversário. O russo tentou até saque e voleio e salvou dois match points. Mas no game seguinte, Nadal salvou um break point antes de fechar a partida e ampliar sua enorme coleção de troféus.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series