Notícias | Dia a dia | US Open
Medvedev se apoia em psicologia e filosofia Shaolin
10/09/2019 às 09h03

Nova York (EUA) - A grande fase do russo Daniil Medvedev, que neste verão norte-americano conquistou uma sequência incrível de resultados, com o título do Masters 1000 de Cincinnati e mais três vice-campeonatos, o mais importante deles no US Open, não é obra do acaso e sim de um trabalho de mais de um ano com a psicóloga esportiva Francisca Dauzet.

“Não é magia e não sou um guru. Ele está crescendo agora, mas estamos trabalhando juntos faz mais de um ano. Seu trabalho mental melhorou muito, sua mente é muito forte e complexa, como um computador, podendo unir os pontos em um segundo”, contou a psicóloga em entrevista à ESPN norte-americana.

O próprio Medvedev reconhece a importância da ajuda de Dauzet em seu desempenho. “Ela tem me ajudado muito. Eu estava pensando depois desses jogos e dizia para mim mesmo que não queria perder jogos porque fiquei louco ou porque perdi a concentração por causa dos torcedores, por causa do árbitro. Quero perder partidas de tênis porque fui pior”, falou o russo.

Dauzet explicou que seu trabalho se apoia no interesse pela medicina chinesa, na meditação e na filosofia dos guerreiros Shaolin, uma ordem de monges chineses famosos por cultivar uma das formas mais antigas e respeitadas de kung fu. Ela gostaria que Medvedev alcançasse a mesma calma interior e consciência sensorial.

“Quando um Shaolin luta, nunca olha ao redor, mas apenas sente as coisas que estão acontecendo”, declarou a psicóloga de fala mansa e com um sorriso fácil, que costuma se encontrar com Medvedev várias vezes por semana.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series