Notícias | Dia a dia
Lendl: 'Final de Wimbledon esgotou Federer e Djoko'
11/09/2019 às 14h53

Londres (Inglaterra) - De acordo com o tcheco naturalizado norte-americano Ivan Lendl, os problemas físicos enfrentados pelo sérvio Novak Djokovic e pelo suíço Roger Federer se deram por causa do esforço que tiveram na final de Wimbledon, em que o número 1 do mundo levou a melhor e levantou sua quinta taça na grama do All England Club.

“Acho que mental e fisicamente tanto Novak quanto Roger pagaram o preço pela final de Wimbledon, que foi incrível em termos de significância histórica. Roger poderia ter ido a 21 (títulos de Grand Slam) e deixado Novak com 15, deixando a diferença em seis, bem maior do que a atual de quatro”, falou Lendl em entrevista ao The Express.

“Foi uma partida dura fisicamente para ambos, que depois tiveram lesões provavelmente porque não estavam totalmente recuperados”, acrescentou o ex-número 1 do mundo, que anos atrás teve um trabalho de sucesso ao lado do britânico Andy Murray, mas não conseguiu ter o mesmo entrosamento com o alemão Alexander Zverev.

Lendl inclusive lembrou de uma passagem de quando treinava Murray, que travou uma dura batalha com o suíço Stan Wawrinka pelas semifinais do Aberto da França de 2017. “Foi quando Andy começou a sentir problemas no quadril e nunca mais foi o mesmo. Stan também passou quase um ano afastado por causa de lesão”, contou o tcheco naturalizado norte-americano.

“É isso que acontece nessas partidas em que os jogadores precisam jogar no limite físico e também no limite mental. Eles ficam sem energia alguma e acabam mais vulneráveis a lesões na sequência”, complementou Lendl.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis