Notícias | Outros
Uruguaio vence câncer e disputa final em Salvador
13/09/2019 às 20h35

Gabriel Aguilar, uruguaio radicado em Lagoinhas.

Foto: Suely Barros

Salvador (Bahia) - O circuito mundial sênior é palco de grandes histórias de vida. E uma delas está em Salvador e vai disputar neste sábado a final da Copa Atakarejo Costa Verde Tennis Clube 40 anos, evento com 125 atletas de seis países e de todo o Brasil realizado no Costa Verde Tennis Clube.

Uruguaio natural de Montevidéu e radicado em Alagoinhas, na Bahia, Gabriel Aguilar, de 58 anos, viveu o drama de ter um câncer no intestino e depois de longas sessões de quimioterapia e uma cirurgia complexa se curou há dois anos. Nesta semana, disputou seu primeiro torneio no circuito desde 2013 e joga a final dos 55 anos neste sábado contra o paulista Vitório Xavier.

"Me considero um vencedor por dividir o espaço com meus amigos, arbitragem, jogadores. Tive um câncer muito perigoso no intestino, poderia ter que jogar tênis em cadeira de rodas, já estava até por dentro do circuito de cadeirantes. Operei e consegui entrar na quadra de novo. Fecharam o intestino baixo e daí precisei ficar com uma colostomia definitiva. Aparentemente, vou viver um pouco mais e poder ficar entre os amigos. Foram dois anos de tratamento e estou curado há dois”, disse Aguilar, que jogou tênis competitivo no juvenil, mas por falta de recursos financeiros e uma lesão migrou para ser treinador. Conheceu uma baiana com a qual é casado há 32 anos e passou a morar no interior onde trabalha com agropecuária e tem um pequeno clube, com quatro quadras de tênis onde também dá aulas. "Jogava muitos torneios sênior, morei 10 anos em Lisboa, fui ao Mundial, etc. Mas depois do câncer voltei para me tratar no Brasil e estou recomeçando de novo".

"Depois que me recuperei clinicamente passei por quimioterapia, cirurgia muito delicada e precisava ter uma distração. Os problemas oncológicos são muito fortes mentalmente e precisava acreditar em um divertimento. E sempre foi o tênis, uma grande terapia é estar com meus amigos no clube, em torneios."

Aguilar é apaixonado pela Bahia e faz elogios ao evento que tem atletas também da Itália, Portugal, Colômbia, Brasil e Paraguai.

"É um excelente torneio em organização. Estou começando aqui para voltar a competir com os melhores. Fantástico acolhimento do clube. Os uruguaios são mais europeus, fechadões por conta do frio e aqui, pelo calor, as pessoas são muito amigáveis, até simpáticas demais, me sinto muito bem aqui, tenho muitos amigos." Aguilar derrotou na semifinal o baiano Hildebrando Valadares por 6/2 6/1 enquanto que Vitório marcou 6/4 6/0 contra Eduardo Castro.

Colombiano, Rafael Quintero tenta o primeiro troféu na carreira

Sétimo do mundo nas duplas na categoria 50 anos, o colombiano Rafael Quintero vai buscar seu primeiro título de simples na carreira, no circuito mundial. Quintero passou pelo brasileiro Luciano Pitta por 6/1 e 6/0 e encara o paulista Marcelo Correa, que venceu Ricardo Queiroz por duplo 6/1.

Quintero nasceu em Neiva, na Colômbia, morou em Bogotá, e foi um dos melhores juvenis daquele país, top 10 ranqueado, mas parou aos 17 anos para fazer faculdade. Retornou ao esporte há 18 anos, desde que se mudou para Salvador por conta do trabalho. Ele é executivo de vendas de material hospitalar. "Comecei a fazer faculdade e abandonei o tênis. Voltei jogando duplas quando vim para a Bahia. Fui tomando gosto de novo, passei a jogar o circuito sênior no ano passado, me machuco muito em simples," contou. Quintero foi à final no torneio de Goiânia, mas se machucou e não pode prosseguir.  "Perspectiva é grande para a final. Nunca joguei contra o Marcelo, mas fiz dupla com ele, vi que joga muito bem. Darei tudo de mim. Vou buscar o título em casa", finalizou Quintero, que neste ano planeja disputar mais o Sul-americano na Bolívia.

"Japaiano" decide os 35 anos. Beach tennis define os primeiros campeões.

Japonês baiano? Sim, existe! Newton Mizutani, um dos treinadores do clube Costa Verde, de origem do país oriental, se garantiu na decisão dos 35 anos ao derrotar o baiano Antonio Portela por 6/2 6/0. Ele vai brigar pelo troféu com o vencedor do jogo entre Norberto Curvelo e Newton Paim. "É incomum um descendente de japonês aqui, o pessoal me chama de japaiano, é engraçado (risos)", diz Mizutani. "É um privilégio jogar aqui no Costa Verde onde aprendi a jogar. Primeira vez em um torneio ITF, me preparei ao máximo, jogando em casa temos um pouco de vantagem", disse o jogador que foi juvenil competitivo, mas migrou para uma academia em Miami, nos EUA, por onde passaram Gabriela Sabatini, Fernando Gonzalez e Nicolas Massu. Lá conseguiu bolsa em uma universidade americana e após se formar voltou ao Brasil, trabalhando três anos no Club Med como responsável pelo tênis. Viajou o mundo com o trabalho indo para a Tailândia, Marrocos e França. Retornou para ficar no Costa Verde, junto com Evaldo Silva, o Evaldinho, trabalhando com os juvenis em tênis de competição. "Trabalho com o tênis me levou a muitos lugares do mundo, morei em vários países, estava para ser alocado no Japão, mas decidi voltar pois sempre gostei daqui."

A Copa Atakarejo Costa Verde Tennis Clube 40 anos define neste sábado os últimos campeões, a partir de 9 horas. No mesmo horário, será dada a largada na principal categoria do torneio de beach tennis, que reúne 86 atletas da Bahia e Sergipe, com premiação de R$ 4 mil. Nesta sexta-feira, os primeiros campeões foram definindos. Na categoria 50+, o troféu ficou com Bruno Barros e Francisco Sarno. Na categoria Dupla Mista A, o troféu ficou com Milena Bastos e Leonardo Barros. Na Dupla Mista C, Igor Araújo e Renata Barreto levantaram o troféu. A sexta ainda terá campeões nas categorias 40+, Simples A, B C e Dupla Mista B. Neste sábado largam nas categorias Dupla Masculina A, B e C. 

Resultados parciais de sexta-feira:

Ws65 Adivany Santos (Bra) [1] v. Iracema Maria Cabral (Bra) 6/0 6/4

Ms55 Sf Vitorio Xavier Santos (Bra) [1] v. Eduardo Castro (Bra) [3] 6/4 6/0

Ws55 Leila Leila Augusto (Bra)  v.  Marcia Cristina Mangabeira (Bra) 6/1 6/2

Ws50 Katia Dalmeida (Bra) v. Rita Maria Santiago (Bra)  6/7(3) 6/2 Ret.

Ws45 Eleusa Pereira Feitosa (Bra) v. Idenir De Sousa de Medeiros (Bra)  6/3 6/1

Ws40 Fabiana Sylvestre (Bra)  v. Sabrina Passini Soares Felicetti (Bra)  6/1 6/3

Ms40 Sf Flavio Prado (Bra) v. Rogerio Bastos (Bra) 6/1 6/3

Ms50 Sf Marcelo Luiz Correa (Bra) [4]  v. Ricardo Oliveira de Queiroz (Bra)  6/1 6/1

Ms50 Sf Rafael Quintero (Col) [2]  v. Luciano Pitta (Bra) 6/1 6/0

Ms55 Sf Gabriel Aguilar (Uru) v. Hildebrando Valadares Filho (Bra) [2] 6/2 6/1

Ms45 Sf Leonardo Azevedo (Bra) v. Rogerio Cordeiro da Silva (Bra) 6/4 3/2 Ret.

Ms40 Sf Jorge de Jesus Jesus (Bra) v. Jose Costa (Bra) 6/1 6/0

Ms35 Sf Newton Mizutani (Bra) v. Antonio Carlos Portela da Silva (Bra) 6/2 6/0

Ms45 Sf Eduardo Carqueija (Bra) v. Carlos Eduardo Santana (Bra)7/5 5/7 7/6 (2)

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis