Notícias | Copa Davis
Novo capitão, Oncins diz que todos cumpriram papel
14/09/2019 às 18h19

Jaime Oncins enfim estreou como capitão do time brasileiro da Copa Davis e agradeceu apoio da torcida

Foto: Luiz Cândido/Divulgação

Criciúma (SC) – A vitória sobre Barbados que recolocou o tênis brasileiro no qualificatório do Grupo Mundial da Copa Davis, em março de 2020, marcou a estreia efetiva de Jaime Oncins como capitão. Ele assumiu o time logo após a derrota para a Bélgica, há sete meses, e saiu satisfeito com o desempenho da equipe.

"Desde o dia que chegamos aqui, todo mundo entendeu o que precisava ser feito nos treinamentos até o dia dos jogos", afirmou ele, que promoveu a estreia do mineiro João Menezes como titular de simples. "Ontem, o dia foi como esperado, com partidas duras. Copa Davis é assim mesmo, jogos decididos em cima de detalhes. A avaliação é a melhor possível. Todo mundo cumpriu com seu papel", avaliou Oncins.

Como jogador, Jaime tem uma histórica de sucesso na Davis. Ele defendeu o país na competição por 11 anos, chegando às semifinais do Grupo Mundial em duas ocasiões, 1992 e 2000. Quatro temporadas depois, chegou a ser nomeado capitão, mas não chegou a dirigir a equipe, já que renunciou apenas dois meses depois devido à crise entre jogadores e a Confederação.

Os duplistas Marcelo Melo e Bruno Soares destacaram o papel da torcida na dura vitória de duplas que abriu o sábado. "É sempre um sentimento especial defender as cores do país, jogar a Copa Davis é sempre uma grande honra, ainda mais dentro de casa. Toda vez que jogamos no Brasil, a torcida sempre lotou e para nós essa energia faz toda a diferença", destacou Soares. "Nós sabemos da importância do jogo de duplas, sabemos o valor que tem. Entramos bem preparados para este jogo e, nos momentos cruciais, a gente conseguiu sobressair por toda essa experiência que a gente tem de anos no circuito", completou Melo.

Responsável pelo quarto e decisivo ponto do confronto ao vencer Darian King em outra partida equilibrada, Thiago Monteiro achou que a vitória foi merecida. "Sabia que seria um jogo duro. O King é um atleta com experiência em Copa Davis. Aproveitei bastante o apoio da torcida, que compareceu em peso hoje, para contornar a situação adversa no segundo set", afirmou, referindo-se ao momento que o barbadense sacou com 5/3. "Conquistar a vitória foi uma felicidade muito grande. A gente trabalhou bem duro durante toda a semana e merecia essa vitória", afirmou o número 1 do país.

Comentários
Faberg
Roland Garros Series