Notícias | Dia a dia
Federer decidirá em breve se jogará as Olimpíadas
17/09/2019 às 12h55

Genebra (Suíça) - A tão esperada definição do suíço Roger Federer sobre sua participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020 ainda não saiu, mas segundo o próprio tenista não deverá demorar muito para acontecer. Em entrevista ao Tages Anzeiger, ele garantiu ter definido seu calendário para 2020 até a temporada de grama.

“Por enquanto só defini aonde quero jogar até Wimbledon, mas já joguei o tema Jogos Olímpicos de Tóquio para minha equipe e me disseram que quem deveria decidir isso era eu. Conversei com Mirka também e já olhamos o calendário, espero tomar uma decisão sobre esse assunto em breve”, disse o suíço, que desconversou ao ser questionado sobre o saibro.

“É uma coisa que já foi definida dentro da equipe”, se limitou a dizer Federer. Ele também não se prolongou ao falar sobre a possibilidade de jogar a Davis em 2020. “Não há conversas em curso sobre minha participação na Copa Davis, mas espero que a competição e também a ATP Cup funcionem bem", comentou o número 3 do mundo.

Outro assunto recorrente foi o problema nas costas que o atrapalhou na eliminação no US Open. “Senti dores por 10 ou 12 dias, esperava que fosse por dois ou três. Ainda me incomoda, mas é uma questão de tempo para sumir por completo. Com certeza estarei pronto para jogar no fim de semana”, explicou mais uma vez o tenista da Basileia.

Animado em disputar a terceira edição da Laver Cup dentro de casa, Federer mostrou toda sua preocupação com os fãs de tênis. “Não poupamos investimento na zona dos fãs, para que aqueles que não tenham ingressos possam curtir um grande ambiente. Espero o melhor não apenas para os jogadores, mas também para o público”.

Federer reconheceu o favoritismo europeu contra o Time Mundo, mas aposta em duelo parelho como nos dois confrontos anteriores. “O favoritismo não significa nada, será um confronto equilibrado porque eles são favoritos nas duplas. Foi assim em Praga e Chicago, onde estiveram perto de vencer”, comentou o suíço, que assegurou presença nas exibições sul-americanas no fim do ano.

“Está decidido. Lá tive contato com públicos incríveis e queria experimentar essa sensação de novo. Minha preparação para a próxima temporada não será comprometida, já que começará a partir de 11 de dezembro, mais tarde do que o habitual”, encerrou o veterano de 38 anos.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis