Notícias | Dia a dia
Após 1º título, Stefani espera manter parceria
29/09/2019 às 10h25

Stefani também jogará ao lado de Carter em Linz e Luxemburgo

Foto: Divulgação

Tashkent (Uzbequistão) - Depois de conquistar seu primeiro título de WTA na carreira, ao vencer a chave de duplas em Tashkent, Luisa Stefani espera manter a parceria ao lado da norte-americana Hayley Carter. Logo nas duas primeiras semanas jogando juntas, elas disputaram duas finais seguidas pela elite do circuito, já que haviam ficado com o vice-campeonato em Seul no último domingo.

"Foram muitas coisas boas nessas duas semanas. Saímos muito confiantes e seguimos no embalo nas próximas duas semanas em Linz e Luxemburgo", disse Stefani, que agora segue para dois tonreios em quadras duras e cobertas na Europa. "Agora é pensar em fixar essa parceria para o futuro, para o ano que vem. Estou muito animada com o que vem pela frente".

Brasileira mais bem colocada no ranking de duplas da WTA, Stefani debutou no top 100 da modalidade na última segunda-feira e deve subir ainda mais. A paulistana de 22 anos e atual 99ª colocada deverá se aproximar do grupo das 80 melhores do mundo com os 280 pontos conquistados. Stefani começou o ano apenas no 187º lugar e ocupava a 112ª posição antes das duas finais seguidas na Ásia.

Sobre a vitória por 6/3 e 7/6 (7-4) na final contra a eslovena Dalila Jakupovic e a norte-americana Sabrina Santamaria, Stefani destacou o início de partida complicado, já que sofreram duas quebras de serviço consecutivas. Ela e sua parceira ainda salvaram um set point durante a segunda parcial.

"A final foi um bom jogo. Elas jogaram bem e nos fizeram ficar desconfortáveis. Viramos o primeiro set onde perdíamos 3/1 e resolvemos o que não estava dando certo", explica a paulistana. "No segundo set, tivemos algumas falhas, mas no geral foi um bom jogo. Foi muito bom conseguirmos virar quando não estava a nosso favor".

Stefani treina na Saddlebrook Academy, na Flórida, desde muito nova. Ela foi top 10 no ranking mundial juvenil da ITF em 2015 e depois passou pelo circuito universitário norte-americano onde atuou por Pepperdine. Nesta temporada, passou a se dedicar integralmente ao circuito profissional.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis