Notícias | Dia a dia
Tênis feminino se renova, mas Serena ainda brilha
30/09/2019 às 11h22

Serena pode jogar até os 40 anos, garante o treinador Patrick Mouratoglou

Foto: Arquivo
Patrícia Zambrano

Numa das maiores renovações do tênis das últimas décadas, a lista das 5 melhores do mundo desta segunda-feira traz três tenistas com no máximo 25 anos, ao mesmo tempo em que a média de idade entre as top 10 vem caindo semana após semana.

A líder Ashleigh Barty, de 23, e a canadense Bianca Andreescu, de 19, deram uma excepcional arrancada em suas carreiras ao longo de 2019, que viu também altos e baixos porém mais um título de Grand Slam para Naomi Osaka, ainda aos 21. A temporada também viu a recuperação de Belinda Bencic, de 22, que retornou ao top 10, e a fixação de Elina Svitolina, aniversariante da semana ao completar 25.

Não é só. Os novos tempos do circuito feminino vêm outras duas tenistas de grande potencial ganharem títulos de peso ou fazerem finais de Grand Slam, casos de Aryna Sabalenka, de 21; Sofia Kenin e Marketa Vaondrousova, também de 20. Entre as jogadoras já classificadas para o WTA Finals, Barty, Andreescu e Osaka representam a nova geração diante de Simona Halep, Karolina Pliskova e Petra Kvitova, que sequer chegaram aos 30.

Apesar da evidente e inevitável virada de mesa, Serena Williams continua a brilhar. A norte-americana que acaba de completar 38 anos aparece como a principal favorita segundo o site de aposta esportiva Betfair para o próximo Australian Open, onde mais uma vez tentará igualar o recorde de 24 troféus de Grand Slam.

Neste momento, Serena tem a cotação de 4 para 1, o que é quase o dobro de Andreescu (7-1) e maior maior do que Halep (10-1) e Osaka (9-2). Mesmo dona da casa e número 1, Barty é a apenas a quinta favorita (7-1).

Enquanto todas as principais jogadoras do circuito estão nesta semana no importante Premier de Pequim, muitas dando sua última cartada em busca de vaga no Finals, não há certeza sequer se Serena disputará o torneio que encerrará a temporada. Ela ocupa o sétimo posto, com vantagem muito pequena sobre Svitolina e ameaçada por Bencic e Kiki Bertens, e não se inscreveu para qualquer competição após o vice do US Open.

Em recente entrevista ao jornal britânico The Guardian. o treinador Patrick Mouratoglou garante que Serena pode jogar sem dificuldade até os 40 anos, mas isso depende de ainda se sentir em condições de vencer um Slam. "Ela está em melhor forma física dos últimos dois anos", garante. "E sua fome por títulos não diminuiu".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis