Notícias | Dia a dia
Djokovic bate Goffin e busca título inédito em Tóquio
05/10/2019 às 06h59

Novak Djokovic ganhou os dois jogos que já disputou contra o australiano John Millman

Foto: Arquivo

Tóquio (Japão) - Pela quarta vez na semana, o sérvio Novak Djokovic sobrou na quadra sintética do ATP 500 de Tóquio. Em apenas 89 minutos de esforço, derrotou na madrugada deste sábado o top 20 David Goffin, por 6/3 e 6/4, e garantiu direito de disputar sua quinta final da temporada.

Campeão da Austrália, de Wimbledon e de Madri, o líder do ranking buscará o 76º troféu da carreira com amplo favoritismo sobre o australiano John Millman, que veio do qualificatório e desta vez superou o gigante norte-americano Reilly Opelka, por 6/3 e 7/6 (7-4).

Fato curioso, dez jogadores que já foram número 1 do mundo ergueram troféus ao longo da história do torneio. Djokovic faz sua primeira aparição em Tóquio. Ele tenta vencer pela 10ª vez na carreira um torneio em que compete de forma inédita. A última aconteceu em Eastbourne dois anos atrás.

Djokovic chegou a Tóquio com dúvidas sobre o problema no ombro esquerdo que o prejudicou no US Open, mas não mostrou qualquer sequela ao longo da semana. Foi quebrado apenas duas vezes na semana e perdeu média de apenas 3,5 games por set disputado.

Sétima vitória sobre Goffin
O primeiro set foi bem disputado ao longo de 46 minutos - apenas quatro mais curto do que toda a partida anterior de Djokovic diante de Lucas Pouille - e viu um início muito firme do sérvio, que obteve quebra logo no segundo game. Momento crucial foi o break-point evitado no quinto game. Goffin evitou a queda e dois set-points no 2/5, mas viu Djokovic sacar com extrema eficiência em seguida.

A história se repetiu no começo do segundo set, em que o belga voltou a ser quebrado logo de início num grande lance de Djokovic, que se defendeu muito bem o tempo todo. Desta vez, no entanto, esteve perto da reação e construiu três break-points em seguida, que não foram concretizados. Perdeu apenas mais um ponto em seus três últimos games de serviço e chegou à sétima vitória em oito jogos diante de Goffin com 87% de pontos vencidos ao acertar o primeiro saque.

Segunda final para o australiano
Millman, número 80 do ranking, fará sua primeira final de nível 500 e a segunda da carreira, com vice no saibro de Budapeste no ano passado. Jogador sempre veloz e muito firme na base, obteve quebra e ameaçou sempre o saque de Opelka no primeiro set, mas precisou salvar um set-point antes do tiebreak, onde então os tenistas perderam sete vezes o serviço em 11 pontos disputados.

Ele enfrentou Djokovic duas vezes no ano pasado, tendo levado uma surra na grama de Queen's, por 6/2 e 6/1, e perdido nas quartas do US Open, por 6/3, 6/4 e 6/4.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis