Notícias | Dia a dia
Máfia espanhola do tênis ganhou R$ 16 milhões
09/10/2019 às 14h40

Madri (Espanha) - A investigação de uma máfia espanhola desmontada em outubro de 2018 pela polícia local, que supostamente fraudou dezenas de partidas de tênis para fazer apostas ilegais, foi concluída e indiciou 25 pessoas, a maioria delas tenistas profissionais. De acordo com o El Confidencial, esse grupo chegou a faturar 3,6 milhões de euros (cerca de R$ 16 milhões) em casas de apostas em todo o mundo.

O líder do grupo era o tenista Marc Fornell, de 37 anos, com uma longa carreira no circuito profissional, que desde novembro do ano passado está preso. A investigação começou há mais de dois anos, quando Fornell passou a manipular suas próprias partidas para depois convencer outros jogadores a se juntarem ao esquema.

Os agentes da Guarda Civil espanhola descobriram que, para impedir ainda mais o trabalho dos órgãos de controle de jogos e corrupção no tênis, Fornell e seus colaboradores decidiram comprar milhares de identidades falsas e com elas abriam contas em operadores de apostas na Espanha e no exterior. Eles também teriam usado essas identidades para controlar dezenas de depósitos bancários em entidades virtuais.

A rede dividiu essas contas em vários grupos; alguns as usaram para receber os fundos, outros para depósitos de segurança onde armazenavam os lucros e também para lavar o dinheiro com investimentos em bens ou por meio de saques simples nos caixas eletrônicos. Somente a partir da análise de 37 dessas contas virtuais, chegaram no valor total de 3.675.475 euros e mais 31.630 dólares.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis