Notícias | Dia a dia
Medvedev comemora novo título e vislumbra nº 1
13/10/2019 às 14h02

Xangai (China) - Desde que iniciou seus torneios preparatórios para o US Open deste ano, o russo Daniil Medvedev praticamente não sabe mais o que é perder. Campeão do Masters 1000 de Xangai neste domingo, ele chegou à final dos últimos seis torneios que disputou, venceu metade deles e acumulou nesse período 29 triunfos em 32 partidas.

“Alguma coisa encaixou de vez no meu jogo nos EUA e não sei como aconteceu. Não mudei como pessoa, acho que o trabalho duro deu frutos, passei a entender melhor meu jogo. Posso dizer que agora sei bem o que sou capaz de fazer com o saque, com os voleios e com todo o resto”, contou o russo, que além da conquista desta semana na China também venceu em Cincinnati e São Petersburgo.

Medvedev somou nesses seis torneios 4.350 pontos dos 5.875 que conquistou em 2019 e acaba de ultrapassar o suíço Roger Federer na corrida para o ATP Finals, assumindo a terceira colocação no ranking da temporada. Com este incrível desempenho no segundo semestre deste ano e não muitos pontos a defender nos primeiros meses de 2020, o russo de 23 anos pode até sonhar com a briga pela liderança do ranking.

“Meu objetivo principal é vencer cada partida que disputo e se for assim aí posso brigar para ser número 1 do mundo. Isso acontece quando você vence muitos jogos em sequência, mais ou menos como venho fazendo. Não tenho muitos pontos a defender até chegar a temporada norte-americana (antes do US Open). Vou dar o meu máximo para buscar resultados melhores e quem sabe assim as coisas não podem acontecer, mas vejo tudo isso como um bônus”, comentou.

Apesar de vislumbrar uma possível disputa pela ponta, Medvedev prefere ser mais cauteloso. “Não gosto muito de falar do futuro porque você nunca sabe o que pode acontecer. Parecia invencível nesta semana, o que acabou se concretizando com o título. Encarei partidas aqui das quais poderia ter saído derrotado, mas consegui levar a melhor e por isso estou muito feliz”

O russo ainda destacou que nos momentos cruciais tem sabido como jogar. “Já sei se preciso colocar spin, dar um slice ou qualquer outra coisa”, observou Medvedev, que brincou sobre seus objetivos para o futuro. "Não sei do que mais preciso fazer. Acho que agora tenho que tentar vencer 21 Grand Slams e superar Roger".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis