Notícias | Dia a dia
Santiago tira o Brasil Open do calendário em 2020
16/10/2019 às 00h21

Neto de Jaime Fillol, Nicolas Jarry é um dos grandes nomes do tênis chileno atualmente

Foto: Arquivo

Santiago (Chile) - O governo chileno promete anunciar oficialmente nesta quarta-feira a volta do ATP 250 de Santiago. O torneio pegou a data do Brasil Open, que foi realizado nos últimos anos em São Paulo logo após o ATP 500 do Rio.

Segundo o diário local La Tercera, o evento será disputado a partir de 24 de fevereiro no Estádio Nacional, encerrando um jejum de seis anos do país sem torneios desse nível.

Além de ceder o local, o governo ainda ajudará na parte financeira, bancando 25% do custo total, estimado em US$ 2 milhões.

O Brasil Open começou a ser disputado em 2001, primeiramente na Costa do Sauípe e no auge de Gustavo Kuerten, chegando a ter chaves femininas nas duas primeiras edições. Com a aposentadoria do catarinense e frente ao alto custo de organização, a Koch Tavares mudou a sede do torneio para São Paulo, optando inicialmente pelo ginásio do Ibirapuera. Já em crise, o evento chegou a ser feito no clube Pinheiros em 2016 e 2017, mas no ano passado voltou ao ginásio. Por duas vezes, teve Rafael Nadal como campeão, em 2005 e 2013.

A data no entanto nunca pertenceu à promotora brasileira, mas sim à Octagon britânica, que decidiu há duas semanas fazer a troca de São Paulo por Santiago, já que o governo local aceitou dar apoio e hoje o Chile conta com dois tenistas de ponta, Nicolas Jarry e Cristian Garin.

A organização do ATP em Santiago estará a cargo da empresa TGA e por Carolina Fillol, filha de um dos maiores tenistas do país e ex-top 10, Jaime Fillol, que por sua vez é avô de Nicolas.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis