Notícias | Dia a dia
Barty diz que tática nova ajudou a quebrar freguesia
03/11/2019 às 18h28

Shenzhen (China) - A australiana Ashleigh Barty entrou em quadra neste domingo para encarar a ucraniana Elina Svitolina, na decisão do WTA Finals, com um retrospecto nada favorável contra a rival. Ela havia perdido os cinco confrontos anteriores, o último deles neste ano em Indian Wells, do qual tirou lições importantes para enfim conseguir uma vitória.

“A derrota em Indian Wells levou alguns dias para ser superada e hoje tentei enfrentar esses fantasmas com uma ligeira mudança de tática. Fui mais precisa do começo ao fim, agarrei bem minhas oportunidades quando as tive e consegui usar muito bem a minha direita. Foi bom ver tudo funcionar”, declarou a número 1 do mundo.

Leia mais: Barty mostrou por que é a nº 1 do mundo, diz Svitolina
Veja também: Melhores momentos da decisão do WTA Finals

Barty termina a temporada com 58 vitórias, seis finais, quatro títulos e um avanço de 15 colocações em relação ao ranking do começo do ano. “O sentimento que tenho agora é um pouco estranho, saio com a impressão de que a temporada foi de altos e baixos, embora tenha muito mais altos do que baixos”, comentou a australiana.

“De qualquer forma, não poderia terminar melhor esse ano do quem com o título aqui em Shenzhen. Foi realmente ótimo”, acrescentou Barty, que fez questão de destacar a importância da conquista em Miami. “Sinto que cresci e me desenvolvi muito como jogadora depois desse título”, analisou a líder do ranking, que ainda poderá levantar em 2019 o título da Fed Cup.

“Para superar uma semana como essa, em que você precisa bater as melhores do circuito, tentei lembrar de minha campanha em Miami, onde consegui pela primeira vez um título de grande porte vencendo várias top 10 em sequência. Sabia que precisava ser muito constante para conseguir”, falou a debutante no WTA Finals, que logo em sua primeira participação acabou com o título.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis