Notícias | Dia a dia
Federer vê disputa aberta nos Grand Slam em 2020
19/11/2019 às 09h11

Buenos Aires (Argentina) - Recordista de títulos de Grand Slam entre os homens, o suíço Roger Federer terminou 2019 sem uma conquista sequer deste nível, ficando muito perto da taça de Wimbledon, derrotado pelo sérvio Novak Djokovic em uma final na qual chegou a desperdiçar match-points. Para a próxima temporada, ele espera poder vencer novamente, mas sabe que a tarefa é árdua.

O suíço concedeu entrevista coletiva na última segunda-feira em Buenos Aires, parte de seus compromissos antes da exibição contra o alemão Alexander Zverev, que acontecerá nesta quarta-feira na capital argentina. Ele também foi questionado sobre a aposentadoria e lamentou a ausência do argentino Juan Martin del Potro no evento.

“Tudo pode acontecer no próximo ano. Além de Rafa (Nadal) e Nole, temos também Andy (Murray) e Stan (Wawrinka) encontrando seu melhor nível novamente. Thiem está jogando um tênis incrível, Berrettini, Sascha e Tsistipas também estão bem. É muito difícil ganhar todos os anos, estive bem perto em Wimbledon e gostaria de vencer mais um”, disse o dono de 20 títulos de Grand Slam.

Federer não escapou de falar sobre até quando pertente jogar. “Sempre me fazem essa pergunta e ainda não sei quando será. Cedo ou tarde minha aposentadoria virá, mas vai depender de minha saúde, de minha família e de meus resultados. Gosto de jogar tênis, estar no circuito e enfrentar os melhores jogadores. Enquanto me sentir bem não vejo razão alguma para parar”, observou.

“É uma surpresa, para mim, estar jogando em alto nível contra gerações mais novas. Quando cheguei ao número 1, em 2004, não esperava seguir atuando aos 38 anos de idade”, acrescentou o atual número 3 do mundo, que lamentou a ausência de Del Potro no evento.

O argentino seria o adversário de Federer na exibição em Buenos Aires, mas não conseguiu se recuperar a tempo após cirurgia no joelho e por isso foi substituído por Zverev. “É uma pena que não possa participar, falei com ele e sei que está lutando por sua recuperação. Ele é um cara genial para o tênis argentino e espero que volte com todo o sucesso”, finalizou o suíço.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis