Notícias | Copa Davis
Britânicos vencem os dois jogos e vão à semifinal
22/11/2019 às 18h33

Daniel Evans venceu o jogo que definiu o confronto a favor do time britânico

Foto: Divulgação

Madri (Espanha) - A Grã-Bretanha é a terceira equipe a confirmar vaga na semifinal da Copa Davis. Diferente do que aconteceu nos demais confrontos das quartas de final, todos definidos nas partidas de duplas, os britânicos avançaram na competição com duas vitórias em simples. Mesmo sem Andy Murray entrar em quadra, o time conseguiu superar a Alemanha graças a Kyle Edmund e Daniel Evans.

Os adversários da Grã-Bretanha na semifinal da Davis virão do confronto entre Espanha e Argentina. Os britânicos só venceram os argentinos uma vez em cinco duelos. No encontro mais recente, disputado em 2016, os sul-americanos venceram uma semifinal disputada em Glasgow. Já contra a Espanha, foram 14 confrontos e vantagem por 8 a 6 para o time britânico. No ano passado, entretanto, os espanhóis levaram a melhor.

O confronto entre Grã-Bretanha e Alemanha começou com Edmund, 69º do ranking, superando o veterano de 36 anos e 79º colocado Philipp Kohlschreiber. O jovem britânico de 24 anos tem agora seis vitórias e cinco derrotas na Davis. Na sequência, foi a vez de Evans confirmar a vitória no confronto. O atleta de 29 anos superou Jan-Lennard Struff por 7/6 (8-6), 3/6 e 7/6 (7-2).

Evans conseguiu apenas sua oitava vitória em 24 jogos de Copa Davis. Atual número 1 do país e 42º do ranking, o britânico vinha de duas derrotas na semana, quando seu país enfrentou a Holanda e o Cazaquistão na fase de grupos da Davis.

Dez vezes campeã da Copa Davis, a Grã Bretanha conquistou a competição pela última vez em 2015. Naquele ano, Andy Murray foi fundamental para conquista, vencendo oito jogos de simples e três de duplas, quando a competição ainda tinha formato com jogos de cinco sets e confrontos dentro ou fora de casa.

Por sua vez, a tricampeã Alemanha aumenta seu jejum de títulos. As conquistas do time germânico foram em 1988, 1989 e 1993. O time não pôde contar com seu principal jogador, o número 7 do mundo Alexander Zverev, que preferiu fazer uma série de exibições com Roger Federer na América Latina.

Comentários