Notícias | Dia a dia
Em crise com federação, Svitolina pode não ir a Tóquio
05/12/2019 às 10h56

Svitolina nega que tenha se recusado a jogar a Fed Cup por falta de entendimento financeiro

Foto: Arquivo

Kiev (Ucrânia) - A ucraniana Elina Svitolina pode ser mais um desfalque importante nas Olimpíadas de Tóquio da próxima temporada. A número 6 do mundo está em conflito com a federação de seu país desde as rodadas decisivas da Fed Cup e, como todo tenista precisa do aval de seus dirigentes para competir nos Jogos, sua presença é cada vez mais incerta.

"Durante anos eu defendi o time ucraniano com orgulho, só não pude participar quando encarei problemas físicos", justificou ela à imprensa europeia. "Desde então, tenho sido vítima de uma campanha orquestrada pelos dirigentes que me chamam de traidora". A federação ucraniana acusou Svitolina de pedir um alto cachê para disputar a Fed Cup e, como não recebeu, abandonou o time à última hora.

"Eu pedi uma garantia financeira para jogar, mas sempre deixei claro que isso era negociável. Não pude jogar na última fase porque precisava me recuperar fisicamente na Suíça, não podia colocar minha saúde em risco", justifica a tenista. "Foi muito baixo eles venderem uma imagem incorreta de mim. Tenho projetos humanitários na Ucrânia, sempre falo muito de meu país onde quer que eu esteja, dedico tempo para os mais jovens. Estou indignada".

Elina garante que está disponível para disputar os Jogos de Tóquio e afirma que tentará todas as saídas. "Quero jogar as Olimpíadas. Se for barrada pela Federação, tentarei todos os meios para estar lá. Já me coloquei pronta para disputar a Fed Cup". A Ucrânia jogará em casa contra a Estônia na fase classificatória do novo sistema da competição em 2020.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis