Notícias | Dia a dia
Com teto e iluminação, RG terá novos horários
28/01/2020 às 06h04

No ano passado, as semifinais femininas aconteceram fora da quadra central

Foto: Arquivo

Paris (França) - Enquanto o Australian Open está em sua reta final, com a definição de seus primeiros semifinalistas, o próximo Grand Slam já anuncia as primeiras novidades para este ano. A organização de Roland Garros, que acontece entre 24 de maio e 7 de junho, irá promover uma mudança nos horários das partidas. Afinal, a edição de 2020 será a primeira a contar com teto retrátil e iluminação artificial na quadra Philippe-Chatrier.

Lembrando que para suportar a instalação do teto, foi necessária a demolição de toda estrutura das arquibancadas do estádio, inaugurado em 1928, e a construção de uma arena mais moderna no mesmo local. A nova Philippe-Chatrier já foi utilizada na edição passada do Grand Slam francês, embora ainda não contasse com as funcionalidades previstas para este ano.

A partir deste ano, todas as partidas das quartas de final de simples serão disputadas na Chatrier. A ideia é dar condições iguais de jogo e tempo de descanso parecido a todos os tenistas, homens ou mulheres, que alcancem essa fase do torneio. Com as adequações no estádio principal, não há mais a possibilidade de uma partida de uma fase aguda ser suspensa ou adiada.

A rodada de quartas de final será dividida em dois dias. E cada um desses dias terá duas sessões de jogos, com uma partida masculina e outra feminina. A rodada começa ao meio-dia local (7h da manhã no Brasil). Já a segunda sessão tem início a partir das 17h locais (ou meio-dia pelo horário brasileiro). Até o ano passado, as quadras Philippe-Chatrier e Suzanne-Lenglen recebiam jogos simultâneos das quartas.

Também foi feita uma mudança nos horários das semifinais masculinas, que podem começar duas horas mais tarde em relação ao ano passado, já que não há mais o risco de adiamento. A primeira semifinal será às 15h locais (10h de Brasília). Já a segunda semifinal será a partir das 17h30 (12h30 pelo horário brasileiro).

Polêmicas da edição passada
A edição passada de Roland Garros teve algumas polêmicas relacionadas à programação e ao remanejamento de quadras por conta da chuva. Um exemplo disso foi o fato de as semifinais masculinas e femininas serem disputadas no mesmo dia, fazendo com que os jogos das mulheres ficassem restritos às quadras secundárias.

Ashleigh Barty e Amanda Anisimova se enfrentaram na quadra Suzanne Lenglen. Já a partida entre Johanna Konta e Marketa Vondrousova aconteceu na recém-inaugurada quadra Simonne Mathieu. A WTA chegou a contestar a decisão dos organizadores do Grand Slam francês. Além disso, a finalista Vondrousova só pôde jogar na quadra central justamente no jogo que valia o título, quando foi superada por Ashleigh Barty.

Já pela chave masculina, houve uma suspensão da semifinal entre Dominic Thiem e Novak Djokovic no meio do terceiro set por conta da chuva. O sérvio e o austríaco só voltariam a atuar no dia seguinte, véspera da final do torneio vencido por Rafael Nadal.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis