Notícias | Dia a dia
Monfils é bi e marca feito pessoal em Roterdã
16/02/2020 às 13h15

Monfils se consolida como um dos principais tenistas deste começo de temporada

Foto: ATP

Roterdã (Holanda) - Para um jogador que sempre teve percentual negativo em decisões, o francês Gael Monfils conseguiu um feito neste domingo ao erguer troféu pela segunda semana consecutiva. Campeão em Montpellier há sete dias, ele reconquistou o ATP 500 de Roterdã, ao superar com folga o canadense Felix Auger-Aliassime, por 6/2 e 6/4.

Vencer dois títulos seguidos é duplamente inédito para Monfils, uma vez que ele jamais havia sequer vencido dois ATPs numa mesma temporada em toda sua longa carreira. Ele soma agora 10 troféus em 21 finais, tendo disputado títulos por 16 anos consecutivos.

Aos 33 anos, Monfils chega a 13 vitórias em 15 partidas feitas na temporada. Ele garante a permanência no nono lugar do ranking com a defesa dos 500 pontos, empatado no total com o italiano Matteo Berrettini. Seu mais alto posto da carreira foi o sexto lugar.

Solidez favoreceu Monfils
Postado três passos atrás da linha de base na maior parte do tempo, Monfils apostou na regularidade e grande condição física para superar a juventude e arrojo do adversário, a quem nunca havia enfrentado.

Desde o começo, Aliassime se mostrou um tanto afoito na tentativa de definir rapidamente os pontos. Acumulou erros e ainda viu o fantasma das duplas faltas voltar. Com essa somatória, perdeu dois games de serviço por set e acabou sendo presa fácil. Só conseguiu reagir quando encarou quatro match-points e obteve a quebra, mas apenas adiou a derrota. Monfils embolsou 406 mil euros e o vice, 204 mil.

Tido como um dos mais talentosos nomes da nova geração, Aliassime amargou o quarto vice em 12 meses, tendo perdido as finais do Rio, Lyon e Stuttgart no ano passado. Aos 19 anos, ao menos garante avanço de três posições no ranking e irá aparecer no 18º posto na segunda-feira, um abaixo de seu recorde pessoal.

Festa francesa
Esta foi a sétima vez desde 2000 que o título de Roterdã ficou com um francês (Nicolas Escudé ganhou duas vezes, Cedric Pioline, Michael Llodra e Jo-Wilfried Tsonga foram os outros).

A festa francesa aliás foi completa, já que Nicolas Mahut e Pierre Herbert conquistaram o terceiro troféu no evento, repetindo 2014 e 2016. Desta vez, superaram Henri Kontinen e Jan-Lennard Struff, por 7/6 (7-5), 4/6 e 10-7.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis