Notícias | Dia a dia
Soares e Pavic salvam 4 match-points e avançam
19/02/2020 às 22h56

Dupla do mineiro com o croata é a cabeça de chave número 4 do Rio Open

Foto: Fotojump

Rio de Janeiro (RJ) - Sufoco para o mineiro Bruno Soares e para o croata Mate Pavic na estreia de ambos na chave de duplas do Rio Open. Eles não apenas tiveram que buscar a virada contra o argentino Andres Molteni e o italiano Lorenzo Sonego, mas também salvaram 4 match-points antes de confirmar a vitória com parciais de 6/7 (4-7), 6/3 e 11-9.

Depois de superar a primeira rodada, Soares e Pavic terão pela frente nas quartas de final no Jockey Club Brasileiro os italianos Salvatore Caruso e Federico Gaio, que vieram do quali e mantiveram o embalo, derrubando o uruguaio Ariel Behar e o equatoriano Gonzalo Escobar em sets diretos, com o placar final de 6/4 e 6/3.

“Já os vi jogando simples um pouquinho, mas não dá para ter muito parâmetro. Não assisti nada do jogo de ontem e agora é tentar pegar esse VT para ver. Deve ser uma partida parecida com a de hoje, são dois caras que vão jogar batendo firme de fundo, bater pesado. Temos que fazer jogada, tentar confundir, tentar cruzar”, analisou Bruno.

O mineiro e o croata chegaram a abrir 4/1 no primeiro set, tiveram a quebra devolvida, deixaram passar dois set-points no saque dos rivais e acabaram superados no tiebreak. Na segunda parcial, eles obtiveram dois breaks, um no terceiro game e outro no nono e último, levando asssim a definição para o match-tiebreak.

No desempate final, Sonego e Molteni abriram 9-5 e perderam quatro match-points, um deles em uma linda devolução de Pavic. “Não estava pensando muito, pois alguns pontos atrás eu tinha errado uma que me deixou bravo, então foi apenas para a bola”, contou o croata, que depois confirmou seus dois serviços e jogou a pressão para o outro lado.

“Aquele winner dele foi meio para o tudo ou nada. Nessa hora não tinha muito o que fazer, tem que jogar o pepino para o outro lado e foi o que fizemos. Para ser sincero, acho que foi mais mérito nosso do que erro deles”, finalizou o duplista mineiro.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis