Notícias | Dia a dia
Becker: 'Ficar sem Wimbledon é como ficar sem Natal'
09/07/2020 às 09h24

Londres (Inglaterra) - Em comemoração do 30º aniversário da final de Wimbledon que disputaram em 1990, o sueco Stefan Edberg e o alemão Boris Becker conversaram, nesta quinta-feira, com o austríaco Mats Wilander no programa Tennis Legends do Eurosport. Eles não apenas lembraram da partida, mas também falaram do cancelamento da edição deste ano do Grand Slam britânico.

“Jogar contra o mesmo cara por três anos seguidos foi estranho. Sinto que aquela final de 1990 foi a melhor e acho que realmente tive chances, mas acabei ficando na virada para o quinto set”, falou Becker, que se recuperou depois de perder os dois primeiros sets, chegou a empatar o jogo, mas acabou derrotado com placar final de 6/2, 6/2, 3/6, 3/6 e 6/4.

Campeão em 1990, Edberg havia também triunfado em 1988, mas fora derrotado na decisão de 1989. “Em 88 era minha primeira final em Wimbledon e Boris era provavelmente o favorito. Mas no ano seguinte ele me destruiu”, disse o sueco, que também lamentou o cancelamento da disputa no All England Club em 2020, a primeira desde a II Guerra Mundial.

“Todos sentimos falta de Wimbledon, que é muito especial para mim e para todos os tenistas porque é o torneio mais tradicional e histórico. Morei em Londres por quinze ou dezesseis anos, então era minha segunda casa. Mesmo assim, acho que foi uma boa decisão porque as coisas estavam aumentando na Inglaterra. Foi a coisa certa a se fazer na época”, analisou Edberg.

Becker também lamentou a ausência do torneio no calendário de 2020. “É um pouco como o Natal. Imagine alguém tirando o Natal de você, não apenas em Londres ou no Reino Unido, mas em todo o mundo que adora tênis. As primeiras duas semanas de julho são muito preciosas, quase sagradas. O mundo inteiro se reúne na grama verde. Sinto falta disso”, falou o alemão.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva