Notícias | Dia a dia
Nova York cancela eventos e US Open corre risco
09/07/2020 às 20h31

Grand Slam norte-americano segue marcado para começar em 31 de agosto e não terá público nos estádios

Foto: Arquivo

Nova York (EUA) - O prefeito de Nova York Bill de Blasio anunciou que todos os grandes eventos que exigem permissão da prefeitura estão cancelados até 30 de setembro. A cidade não emitirá uma licença para nenhum evento em um local que possa provocar aglomerações e interferir nos programas Open Streets ou Open Restaurants, que são parte de um plano de reabertura gradual do município.

As permissões também serão negadas para todos os eventos maiores que um quarteirão, bem com eventos que utilizem palcos ou telões de vídeo que exijam amplificação, além de feiras de rua e eventos em parques que, segundo a nota, "possam diminuir irracionalmente o uso público". A cidade irá reembolsar as taxas que já foram pagas para os promotores que tiveram seus eventos cancelados.

+ Casos aumentam nos EUA e 5 torneios são cancelados
+ WTA leva torneio de Washington para Lexington
+ 'US Open deveria ser cancelado', diz Henri Leconte

"Quando Nova York iniciou seu processo de reabertura, os espaços abertos acessíveis se tornaram mais importantes do que nunca", disse De Blasio, por meio de um comunicado oficial. "Embora me doa cancelar alguns dos eventos mais amados da cidade, nosso foco agora deve ser a priorização do espaço da cidade para uso público e a continuação do distanciamento social".

US Open segue marcado para o fim de agosto
Em meio aos recentes cancelamentos de eventos públicos, o US Open passa a correr riscos. O Grand Slam norte-americano tem início marcado para 31 de agosto. Uma semana antes, a cidade de Nova York receberá ainda outro grande torneio de tênis, já que o Masters 1000 e o WTA Premier 5 de Cincinnati foram excepcionalmente transferidos para lá. Esses dois eventos acontecerão sem a presença de público nos estádios.

+ Torneio de Cincinnati é transferido para Nova York
+ Protocolo de isolamento do US Open é flexibilizado
+ US Open não terá quali e chave de duplas será menor

Os Estados Unidos país tem mais de 3,1 milhões de infectados pela Covid-19, com mais de 133 mil mortes. Já o estado de Nova York, que já foi o epicentro da pandemia no país, tem 404 mil casos confirmados e 31.979 vítimas, mas apenas 15 óbitos foram registrados nas últimas 24h.

Números da Universidade Johh Hopkins mostram que o país têm enfrentado um aumento no número de casos de coronavírus nas últimas semanas. Desde o início da pandemia até o dia 24 de junho, o país nunca havia registrado mais de 40 mil casos da doença. Mas o cenário mudou nas últimas duas semanas, com uma alta no número de casos. Por três dias seguidos, o país registrou mais de 50 mil novos infectados pela Covid-19. Já na última terça-feira foi registrado um recorde com mais de 60 mil novos casos pelo país.

A Associação de Tênis dos Estados Unidos (USTA) já cancelou cinco torneios profissionais que aconteceriam em agosto no país por conta do aumento no número de Casos de Covid-19. Curiosamente, a cidade de Lexington, no Kentucky, teve um torneio da ITF cancelado na última segunda-feira. Mas já nesta quinta-feira, a WTA marcou um evento para o mesmo local.

Comentários
Loja - livros
Suzana Silva