Notícias | Dia a dia
Quarentena na Europa pode tirar Djoko do US Open
06/08/2020 às 09h39

Marbella (Espanha) - Mesmo aparecendo na lista de inscritos para o US Open, o sérvio Novak Djokovic segue com sua participação incerta na competição e segundo os veículos de imprensa de seu país uma definição só acontecerá mais para frente. De acordo com apurações do jornal espanhol Marca, duas são as principais questões que deixam o número 1 do mundo em dúvida.

A primeira delas é a possível quarentena obrigatória imposta aos tenistas que saírem dos Estados Unidos e forem competir na Europa. A direção do Masters 1000 de Madri havia resolvido esse problema junto às autoridades espanholas, mas com o cancelamento do evento agora há uma grande indefinição sobre o assunto.

Por mais que o USTA tenha anunciado que está otimista em relação às negociações abertas com a ATP, a WTA, a Federação Francesa de Tênis e Roma, a segurança não é absoluta e o sérvio já colocou que não irá cruzar o oceano antes de encontrar uma solução para isso.

Outro ponto importante para ‘Nole’ é o rígido protocolo de segurança do US Open, que expulsará quem não cumprir. Um dos pontos que mais afligem o atual líder do ranking é a possibilidade de eliminar qualquer jogador que tenha um membro de sua equipe infectado por coronavírus durante a competição, algo que a ATP se mostrou contra, sem ainda encontrarem uma solução.

Mesmo com essas questões, o sérvio quer ir para Nova York porque sabe ter uma ótima oportunidade para acrescentar outro Grand Slam na sua busca pelo recorde do suíço Roger Federer, que atualmente tem 20 taças contra 17 de Djokovic. Entre eles há também o espanhol Rafael Nadal com seus 19 títulos.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva