Notícias | Dia a dia
AO planeja cinco bolhas e público de até 400 mil
12/08/2020 às 10h50

Melbourne (Austrália) - Com a cidade de Melbourne no meio de um bloqueio total após um segundo pico de casos de coronavírus, as incertezas sobre a disputa do Australian Open de 2021 aumentam cada vez mais. Segundo informa o Sydney Morning Herald, o torneio pode ser transferido para o final do ano, mas o diretor Craig Tiley garante que os organizadores estão confiantes em executar o Grand Slam em sua data habitual.

Tiley e sua equipe têm trabalhado desde o final da edição de 2020 para traçar estratégias e garantir que o torneio do próximo ano prossiga. As vendas de ingressos começarão em outubro e cinco "bolhas de biossegurança" serão abertas em todo o país seis semanas antes do início do torneio para permitir que os jogadores que cheguem à Austrália evitem as medidas de quarentena mais restritivas.

"Vamos abrir nossa bio-bolha a partir de primeiro de dezembro e os jogadores podem vir a qualquer momento. Quando chegarem, nossa expectativa é que eles não fiquem em um hotel por 14 dias, como estão os requisitos atuais. Teremos uma isenção dentro desta bolha. Nós dizemos todos os anos que somos o 'Slam feliz'. Mas agora estamos dizendo que somos o 'Slam muito seguro e feliz'", afirmou o presidente-executivo da Tennis Australia.

Criada por causa da fumaça do incêndio florestal que ameaçou o torneio deste ano, a equipe de gerenciamento de crise colocou um plano de negócios e operacional em prática para cada um dos cenários que eles criaram. O primeiro cenário foi o evento sendo realizado da mesma forma que 2020, enquanto o segundo foi um com público limitado.

"O cenário três foi a portas fechadas, um evento apenas transmitido. O cenário quatro estava mudando para outra época do ano. E o cenário é não termos um evento", disse Tiley, que está confiante de que poderá receber cerca de 400 mil fãs no Melbourne Park em 2021, cerca de metade do número registrado neste ano.

Comentários
Raquete novo
Suzana Silva