Notícias | Dia a dia
Djokovic: 'Não vou jogar a temporada inteira'
21/02/2022 às 18h59

Sérvio terá que fazer seu calendário com base nos torneios em que for autorizado a jogar

Foto: DDF Tennis Championships

Dubai (Emirados Árabes) - De volta ao circuito e disputando seu primeiro torneio da temporada no ATP 500 de Dubai, Novak Djokovic sabe que não terá como disputar a temporada completa do circuito. O número 1 do mundo já indicou em recente entrevista à BBC que abrirá mão de outros torneios que exijam o comprovante de vacinação para os participantes. Com isso, o sérvio tenta estabelecer um calendário focado nos eventos que ele eventualmente consiga autorização para jogar.

"Obviamente, não pretendo jogar a temporada completa. Essa também não era minha intenção no ano passado. Eu estava tentando jogar o meu melhor nos Grand Slam e em alguns dos Masters 1000 que temos, ou ainda jogar pelo meu país. Essas foram as maiores motivações que eu tive em termos de calendário", disse Djokovic, durante sua entrevista coletiva em Dubai.

"Agora a situação é obviamente diferente para mim. Eu realmente não posso escolher. Agora é uma questão sobre onde eu posso ir e jogar. Só tenho que seguir as regras. Qualquer que seja o torneio que eu possa jogar, tentarei chegar a esse país e jogar o torneio", acrescentou o jogador de 34 anos, que tem a liderança do ranking ameaçada por Daniil Medvedev nesta semana. "Onde quer que eu tenha uma oportunidade, provavelmente vou aproveitar e jogar porque é isso que eu faço, é o que eu ainda amo fazer. Tenho apoio da minha família. Minha equipe ainda está comigo. Estamos de volta ao circuito. Vamos jogar este torneio e ver o que acontece no futuro".

'Não posso entrar nos Estados Unidos', diz o sérvio
Os próximos grande torneios no calendário são os Masters 1000 de Indian Wells e Miami no mês de março. O evento na Califórnia já informou que vai exigir o certificado de vacinação para os jogadores. Mas além disso, o sérvio também poderia enfrentar problemas na imigração para os Estados Unidos, mesmo que isso não seja exigência das competições. "Com base na situação atual, não jogarei em Indian Wells. Não posso ir e não posso entrar nos Estados Unidos. Mas vamos ver o que acontece. Quero dizer, talvez as coisas mudem nas próximas semanas".

Depois de relatar uma recepção negativa dos colegas de circuito nos quatro dias em que treinou na Austrália no início da temporada, o sérvio diz que a situação é diferente em Dubai. "Até agora aqui a maioria dos jogadores que vi, não foram muitos jogadores, mas a maioria dos deles foram positivos e acolhedores. Isso é bom, obviamente. Não posso dizer que foi o caso na Austrália. Foi um pouco estranho. Mas aqui está bem até agora".

Vitória sobre Musetti na estreia em Dubai
O número 1 do mundo avaliou seu desempenho na vitória por duplo 6/3 sobre o italiano Lorenzo Musetti nesta segunda-feira. "Foi uma vitória em dois sets, então é claro que tenho que estar satisfeito com meu tênis, especialmente depois de dois meses e meio e quase três meses sem jogar".

"Claro, houve momentos em que joguei muito bem, houve momentos em que cometi alguns erros não forçados seguidos de forma incomum. Mas é normal esperar isso na minha primeira partida depois de um tempo", explica o sérvio, que não jogava uma partida desde o dia 3 de dezembro. "Estou feliz por ter conseguido vencer em dois sets contra um jovem muito talentoso. Claro, ele não tinha muito a perder, estava ventando muito, e assim fica um pouco complicado de jogar. Mas no geral foi uma experiência muito positiva".

Apesar de não ter sofrido quebras de serviço, Djokovic salvou sete break-points na partida, quatro deles no mesmo game. "Tive a sorte de encontrar os saques certos nos break-points que enfrentei no sexto game do segundo set. Isso me deu um grande alívio para o resto da partida", complementou o sérvio, que agora espera pelo vencedor entre o russo Karen Khachanov e o australiano Alex de Minaur.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva