Notícias | Dia a dia
Bia sofre virada e para nas oitavas em Bogotá
07/04/2022 às 19h14

Bia segue em Bogotá para a disputa da semifinal de duplas

Foto: Copa Colsanitas

Bogotá (Colômbia) - Depois de ter vencido uma estreia difícil no WTA 250 de Bogotá, Beatriz Hadddad Maia foi eliminada nas oitavas de final da competição. Segunda cabeça de chave do torneio e número 59 do mundo, Bia foi superada nesta quinta-feira pela jovem de 20 anos e 111ª do ranking Kamilla Rakhimova, com parciais de 4/6, 6/3 e 6/4 em 2h34 de partida.

Paulista de 25 anos, Bia iniciou a semana apenas uma posição abaixo da melhor marca da carreira e faz 30 pontos na WTA por ter superado a estreia. No entanto, ela defendia 50 pontos nesta semana e descarta mais 65 na semana que vem, referentes a dois títulos de ITF W25 conquistados na Argentina no ano passado.

Bia segue na disputa de duplas
Apesar da derrota, Bia permanece na capital colombiana para a disputa da semifinal de duplas ao lado da anfitriã Camila Osorio. As próximas adversárias serão a australiana Astra Sharma e a indonésia Aldila Sutjiadi. A paulistana tem dois títulos de duplas em Bogotá, o primeiro ainda na temporada 2015, em parceria nacional com Paula Gonçalves. Dois anos depois, venceu o torneio ao lado da argentina Nadia Podoroska.

Pigossi será a última representante nacional em simples
A derrota de Bia também faz com que a última representante brasileira na chave de simples seja Laura Pigossi, 212ª do ranking e vinda do quali na Colômbia. A paulista de 27 anos faz sua melhor campanha em simples no circuito da WTA. Depois de ter vencido quatro jogos na semana, ela desafia a ucraniana Dayana Yastremska, 102ª colocada, mas dona de três títulos. Yastremska, de 21 anos, chegou a ser número 21 do mundo.

Algoz da número 1 do Brasil, Rakhimova é nascida na Rússia e atualmente jogando sob bandeira neutra no circuito, por conta das sanções esportivas ao país. Ela enfrenta nas quartas de final a romena Irina Bara, de 27 anos e 118ª do ranking, que derrotou a holandesa Suzan Lamens por 6/0, 0/6 e 6/4.

Partida teve nove quebras e 27 break-points
A primeira quebra a favor de na partida veio cedo, em um game com três duplas faltas e um erro de forehand de Rakhimova. Logo na sequência, a número 1 do Brasil enfrentou dois games muito longos em seu serviço e chegou a salvar três break-points, um deles com ace, mas não evitou o empate por 3/3.

Já no penúltimo game da parcial, Bia tentou tirar o peso da bola e prolongar alguns ralis do fundo de quadra. A estratégia funcionou e ela contou com erros não-forçados da adversária para conseguir uma nova quebra. Nas estatísticas, Bia fez 8 a 2 em winners e cometeu 10 erros contra 6.

Logo no início do segundo set, Bia conseguiu mais uma quebra e fez 2/1. Mas ela sofreu bastante nos games de saque, com apenas 52% de primeiros serviços em quadra e 48% dos pontos vencidos no saque durante toda a parcial. Com isso, acabou enfrentando quatro break-points e permitiu duas quebras à rival, que venceu quatro games seguidos. Cada jogadora fez seis winners, mas Bia cometeu sete erros contra dois.

O terceiro set começou com uma troca de quebras e com games longos. Bia teve seu serviço ameaçado com maior frequência, enfrentando cinco break-points ainda no início da parcial. Já a adversária russa passou a sacar melhor na reta final da partida, confirmando os serviços com mais tranquilidade. A última quebra aconteceu no 4/4 e Rakhimova definiu a vitória logo depois. A partida teve nove quebras, 5 a 4 para Rakhimova, e um total de 27 break-points. Bia liderou nos winners por 22 a 18, mas cometeu 27 erros contra apenas 16 da rival.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva