Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Djokovic atropela e enfrenta 'freguês' Schwartzman
27/05/2022 às 12h05

Paris (França) - Como era esperado, o número 1 do mundo Novak Djokovic não encontrou dificuldade para avançar pela 16ª vez na carreira às oitavas de final de Roland Garros. O bicampeão de Paris manteve sua invencibilidade absoluta contra o esloveno Aljan Bedene, agora de quatro jogos e 11 sets, desta vez com placar de 6/3, 6/3 e 6/2.

No domingo, fará sua 100ª partida em Roland Garros, onde soma 84 vitórias, diante do argentino Diego Schwartzman, a quem derrotou em todos os seis duelos anteriores. 'Peque' passou com autoridade sobre o búlgaro Grigor Dimitrov, com placar de 6/3, 6/1 e 6/2. Apenas Rafael Nadal, com 107, venceu mais que Nole no Slam francês.

A única vez que Djokovic não levou a melhor numa terceira rodada de Roland Garros foi em 2009, surpreendido pelo alemão Philipp Kohlschreiber.

Além da meta de atingir o tri na França e o 21º troféu de Grand Slam, o que igualaria o recorde de Nadal, Djokovic também luta para manter a liderança do ranking. Ele certamente não perderá o posto na lista que sai logo após o torneio, devido à diferença de uma semana em relação ao calendário de 2021, mas precisa pelo menos ir à final para não correr o risco de ser ultrapassado no ranking seguinte.

Jogo de poucos erros
Djokovic reencontrou Bedene em Roland Garros depois de seis anos e foi muito superior em todos os campos. Nos dois primeiros sets, teve um índice muito alto de pontos com o saque e extremamente baixo de erros não forçados, o que colocou sempre muita pressão sobre o esloveno. Foram apenas seis erros no set inicial e três no segundo, enquanto Bedene obteve meros cinco pontos como recebedor.

Assim como havia feito em seus jogos anteriores, Djokovic mostrou seriedade o tempo todo e procurou economizar tempo em quadra. Permitiu um único break-point ao adversário no game inicial do terceiro set, mas sacou bem na hora certa. O esloveno cedeu a quebra sem ganhar pontos no quarto game e daí em diante o cabeça 1 administrou a vantagem, ficando somente 1h44 em quadra.

Schwartzman se vinga de Dimitrov
Poucos dias atrás, Schwartzman havia sofrido dura derrota diante de Dimitrov no saibro veloz de Madri, onde ganhou apenas três ganes. Nesta sexta-feira, no entanto, o 16º do ranking foi absoluto.

Vindo de difícil vitória na segunda rodada, em que chegou a perder os dois primeiros sets para o espanhol Jaume Munar, o argentino mostrou força física para impor as trocas de bola sobre um adversário que errava muito. Dimitrov só teve um momento positivo na abertura do terceiro set, quando abriu 2/0, terminando com 59 erros, quase o triplo dos 20 do argentino.

Roland Garros tem sido o Slam de maior sucesso para Schwartzman, que chegou à semi há dois anos e fez quartas em 2018 e 2021.

Comentários