Notícias | Dia a dia
Federer: 'Não preciso de recordes para ser feliz'
23/09/2022 às 07h58

Londres (Inglaterra) - Durante muitos anos de sua vitoriosa carreira, Roger Federer foi detentor e acumulador de recordes, que o colocavam em posição de destaque nas discussões sobre quem teria sido o melhor jogador de todos os tempos. Nos últimos anos, o suíço viu algumas de suas marcas sendo superadas pelos principais rivais, Rafael Nadal e Novak Djokovic. O espanhol é quem tem mais títulos de Grand Slam, 22 no total, e o sérvio é quem tem mais semanas como número 1 do mundo, 373 no total.

Aos 41 anos, Federer se despede do tênis profissional nesta sexta-feira e se sente plenamente realizado por tudo o que conquistou, independentemente dos números dos adversários ou de discussões subjetivas.

"Estou muito orgulhoso e muito feliz por tudo o que fiz. Um dos meus grandes momentos, é claro, foi vencer meu 15º Grand Slam em Wimbledon, quando Pete Sampras estava lá, assistindo ao jogo. Qualquer coisa depois disso era um bônus. Esse foi um recorde e depois, é claro, outros vieram ao longo do caminho", disse Federer, que encerra a carreira com 20 conquistas de Grand Slam e 310 semanas no topo do ranking mundial.

"Mas é claro que hoje em dia, os números são vão aumentar e os jogadores vão querer perseguir recordes. É verdade que em algum momento eu provavelmente também fiz isso, quando estava mais perto do recorde do Pete, mas não nos primeiros anos da minha carreira", ponderou o suíço. "Pela forma como eu administrava minha agenda, eu estava feliz dentro e fora da quadra e gostava da minha vida no circuito".

"Obviamente, os últimos anos foram difíceis, mas estou muito feliz por ter conseguido vencer mais cinco slams depois daquele 15º título. Para mim foi incrível. Então cheguei a mais de 100 títulos de ATP e todas essas coisas foram fantásticas. Então, a minha longevidade é algo de que estou muito orgulhoso. Não preciso de todos os recordes para ser feliz. Eu te digo isso".

Confira alguns recordes mantidos por Federer
Mas apesar de ter sido ultrapassado em duas marcas importantes, Federer acumula uma longa coleção de recordes. Um dos mais relevantes é o de 237 semanas consecutivas na liderança do ranking. O suíço também é o número 1 do mundo mais velho da história, aos 36 anos e 320 dias, em 2018.

Ele também tem um recorde na Era Aberta por ter vencido 24 finais seguidas entre 2003 e 2005, além de ter disputado dez finais de Grand Slam consecutivas, entre 2005 e 2007. Na grama de Wimbledon, é recordista de títulos, com 8; Finais, com 12 (sendo sete consecutivas); E também de vitórias, com 105 no total.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva