Notícias | Dia a dia
Nadal diz que vínculo com Federer deve perdurar
29/09/2022 às 09h26

Madri (Espanha) - Presença especial na partida de aposentadoria do suíço Roger Federer, o espanhol Rafael Nadal falou sobre toda a festa e as lágrimas derramadas no evento em conversa com El Partidazo de COPE, na qual não apenas destacou as emoções vividas na sexta-feira passada na Arena O2, em Londres, mas também fez um balanço sobre a rivalidade e a amizade que acabou construindo com Federer.

“Nossa rivalidade evoluiu da mesma forma que nosso relacionamento pessoal evoluiu. No começo, quando você é jovem, você só se preocupa em vencer, querer ser melhor que o outro. Com o passar dos anos, tanto um quanto o outro, uma vez que tivemos experiências juntos e compartilhamos momentos de tristeza competindo, nos últimos dez ou doze anos passamos a apreciar especialmente todos esses jogos”, analisou Rafa.

O espanhol destacou que a rivalidade teve suas fases, mas que desde o início a relação foi boa e depois foi só se fortalecendo. “Ao longo dos anos, percebemos que algo especial foi vivenciado e é assim que eu acho que o mundo do tênis o percebeu. Graças a isso algumas pessoas se interessaram pelo nosso esporte, afinal, nossa maneira de ver o mundo e a própria rivalidade fez com que nossa relação pessoal tenha sido provavelmente mais importante que a profissional”, observou.

“Durante anos nossa amizade foi fortalecida, por diferentes motivos tivemos que estar mais unidos do que nos primeiros anos e graças a isso fizemos muitas coisas boas e bonitas. Criamos um vínculo de amizade que acho que vai durar”, complementou o canhoto de Mallorca.

Questionado sobre quem foi a partida mais importante entre eles, Nadal destacou o duelo em Wimbledon, em 2008. “Foi o mais importante, por tudo o que significou, e o Australian Open de 2017 foi o segundo mais importante, já que depois de algum tempo lesionados voltamos a nos posicionar em um lugar privilegiado”, falou Nadal.

Um dos mais emocionados na despedida de Roger, o espanhol garantiu que ainda não se vê parando, embora saiba que já está na reta final da carreira. ”Sei que esse momento virá em alguns anos, todos nós sabemos que aos 36 anos e meio estou na reta final da minha carreira esportiva, mas é algo que nem eu nem penso. Minha emoção foi simplesmente pelo momento, pela pessoa que estava se aposentando e pelo apreço e admiração que sinto por Federer”.

Comentários
Loja - camisetas
Suzana Silva